Chadwick Boseman reduziu o próprio salário para que atriz recebesse mais

Por Metro Jornal

Um mês após a morte de Chadwick Boseman, vítima de câncer aos 43 anos, as histórias sobre o ator segundo os colegas continuam surgindo. Em entrevista à revista Empire, Sienna Miller dividiu uma história que confirmou a boa fama do ator, com quem trabalhou em "Crime Sem Saída", lançado em 2019.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

Boseman, que também produziu o longa-metragem, fez o que estava a seu alcance para ter a atriz no elenco, o que incluiu um corte no próprio salário. "Ele me procurou para fazer o filme e foi uma época em que eu não queria mais trabalhar. Estava exausta depois de trabalhar sem parar, mas quis trabalhar com ele", afirmou.

“E Chadwick acabou doando parte do seu salário para chegar ao valor que eu tinha pedido. Ele disse que era o que merecia", afirma a atriz, que conta ter ficado incrédula. "Esse tipo de coisa não acontece. É inexplicável imaginar outro homem nessa indústria se comportando dessa maneira graciosa ou respeitosa", afirma. "Depois disso eu contei essa história para amigos e todos ficaram mudos. Provavelmente tiveram de sentar e pensar sobre essas coisas", afirma.

Loading...
Revisa el siguiente artículo