Roman Polanski perde recurso e continua expulso da Academia do Oscar

Diretor confessou ter estuprado uma criança de 13 anos durante sua estadia nos Estados Unidos

Por Metro Jornal

O cineasta Roman Polanski perdeu, nesta semana, um recurso no Tribunal Superior de Los Angeles, nos Estados Unidos, que buscava sua reintegração na Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. O grupo é responsável pela avaliação e escolha dos filmes e profissionais indicados e premiados pela cerimônia anual do Oscar.

O diretor foi expulso da entidade há dois anos por sua conduta – Polanski foi acusado e admitiu ter estuprado uma criança de 13 anos nos anos 70. Após ver o crime vir à tona, ele fugiu dos Estados Unidos para evadir uma ordem de captura emitida pela polícia norte-americana em 1978.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

LEIA MAIS:
Afastado, desembargador Eduardo Siqueira continuará recebendo salário superior a R$ 35 mil
Fórum Econômico de Davos de 2021 é adiado

Com cidadania francesa e polonesa, Polanski vive desde então na Europa, e continua a produzir e dirigir longas premiados. Apesar de confessar publicamente o estupro, ele nega ter cometido outros crimes ao longo de sua carreira.

Hoje com 87 anos, o cineasta foi removido da Academia no âmbito da revisão do código de conduta provocada pelo movimento #MeToo, que revelou uma quantidade enorme de casos de assédio e abuso sexual em Hollywood.

Em sua defesa, o diretor alegou que a Academia não deu oportunidade dele se defender da expulsão, fato que foi rechaçado pela juíza Mary H. Strobel. "Polanski teve a oportinudade de apresentar qualquer evidência que considerasse relevante, […] incluindo um documento longo de seu advogado e um vídeo", afirmou a magistrada.

Loading...
Revisa el siguiente artículo