Netflix e criadores de Stranger Things são processados por plágio

Por Metro Jornal

A empresa Irish Rover Entertainment entrou com um processo contra a Netflix e os irmãos Matt e Ross Duffer, criadores da série Stranger Things. A companhia afirma que a produção é um plágio de outro roteiro.

A Irish Rover alega que é responsável pela ideia original, com o título "Totem". Segundo a ação, um homem chamado Aaron Sims teria trabalhado com o roteirista de Totem, Jeffrey Sims, durante o desenvolvimento da série. Sims criou a arte conceitual das duas primeiras temporadas de Stranger Things na Netflix.

Veja também:
‘Cursed – A Lenda do Lago’ estreia na Netflix nesta sexta com site interativo especial
Sandy e Junior lançam disco da turnê ‘Nossa História’

Vale - Branded content - julho/2020

 

"Em 'Totem', um dos personagens é uma garotinha chamada Kimimela, ou 'Kimi', que tem poderes sobrenaturais. Kimimela ajuda seus amigos a encontrar o portal para um plano sobrenatural alternativo e a combater seus habitantes, um espírito sombrio chamado Azrael e seu exército de Blackwolf", diz a Irish Rover.

Stranger Things tem um roteiro parecido. Uma garota chamada Eleven tem poderes sobrenaturais. "Eleven ajuda seus amigos a encontrar o portão do portal para um plano sobrenatural alternativo e os ajuda a combater os habitantes, um monstro das sombras e seu exército de Demogorgon", compara a empresa no processo.

A Netflix e os criadores da série não se manifestaram sobre o caso.

 

 

Loading...
Revisa el siguiente artículo