Sobrevivente de sequestro e estupro, Duffy pede retirada de '365 Dias' da Netflix

Por Metro Jornal

A cantora galesa Duffy, 36 anos, escreveu uma carta aberta para o CEO da Netflix, Reed Hastings, pedindo a retirada do filme "365 dias" do catálogo do streaming. Ela cita a glamorização de sequestro, tráfico sexual e estupro contidos na produção polonesa e que viralizou no serviço de streaming.

Na história, uma mulher é sequestrada por um chefão da máfia que a mantém refém com a proposta de que ela se apaixone dentro do período de um ano em que ele pretende deixá-la presa.

Em fevereiro deste ano, a cantora veio a público para contar que ela própria foi mantida em cativeiro, drogada e estuprada como a personagem da ficção. Isso ocorreu em 2010 e durou um mês.

Na carta endereçada a Hastings, publicada pela revista Deadline, Duffy diz: "Eu não gostaria de estar na posição de ter que escrever para você, mas meu sofrimeno me obriga a fazê-lo, por causa da violenta experiência que tive de suportar semelhante à que vocês escolheram apresentar como 'filme erótico"".

"Isso não deveria ser entretenimento para ninguém, nem deveria ser descrito dessa forma ou ser comercializado dessa maneira. Me entristece que a Netflix dê plataforma para esse tipo de 'cinema', que erotiza o sequestro e distorce a a violência sexual e tráfico como um filme 'sexy"", afirma.

 

 

Loading...
Revisa el siguiente artículo