Morre a atriz Maria Alice Vergueiro, imortalizada no curta Tapa na Pantera

Por Angela Correa

Morreu nesta quarta-feira (3), aos 85 anos, a atriz paulistana Maria Alice Vergueiro, grande nome do teatro, fundadora do Grupo Ornitorinco e, para a geração que cresceu nos anos 2000, "aquela senhora que dava um tapa na pantera".  Ela tratava uma pneumonia no Hospital das Clínicas, em São Paulo. Ela será cremada nessa quinta-feira (4), em cerimônia reservada.

Leia mais:
Curitibanos criam ‘novo futebol’ sem contato físico para jogar durante pandemia
Lea Michele se manifesta sobre acusações de racismo: ‘me desculpo pelo meu comportamento’

Figura importante do teatro, Maria Alice Monteiro de Campos Vergueiro foi reapresentada aos jovens por meio do curta-metragem "Tapa na Pantera", lançado em 2006, com direção de Esmir Filho, Mariana Bastos e Rafael Gomes.. Em cena,  a atriz apresentava um monólogo falando sobre as benesses de fumar maconha. Espalhado de maneira viral, muitos, sem reconhecer a atriz, acharam que o vídeo tratava realmente de uma figura real em negação sobre o domínio da cannabis sobre sua vida.

O contexto dessa explosão do vídeo ocorreu em uma época em que os brasileiros ainda nem estavam acostumados a chamar de memes as imagens que se propagam velozmente na internet. Maria Alice se tornou um dos símbolos 'memético' naquela década.

Nos palcos, no entanto, ela já era professora. Além de atriz e diretora, era pedagoga e teve alunos como o próprio Cacá Rosset, com quem criou o Ornitorrinco. Estreou em "A Mandrágora", de Augusto Boal, em 1962 e, em cinco décadas de ofício teatral, participou de peças emblemáticas como "O Rei da Vela", em montagem de José Celso Martinez Corrêa, além de textos clássicos de Shakespeare e Molière.

Na televisão, fez novelas como "Sassaricando", de 1987.

Relembre o curta-metragem:

 

Loading...
Revisa el siguiente artículo