Por que a Tóquio? Autor de La Casa de Papel revela um dos grandes segredos da série

Por Publimetro

Grande parte do sucesso de La Casa de Papel passa por Tokio, personagem interpretada por Úrsula Corberó, tanto por sua personalidade quanto por seu papel de narradora da história.

E, é claro, a bem-sucedida série espanhola de Netflix começou com a seguinte declaração em 2 de maio de 2017: "Meu nome é Tokio, mas quando essa história começou, eu não me chamava assim”.

Esse foi o pontapé inicial de um fenômeno de massa que já está em sua quarta temporada e com milhões de seguidores em todo o planeta, mas esse começo não foi o que seu autor havia contemplado desde o início. Além do mais, para chegar lá, houve um longo e intenso debate.

O espanhol Álex Pina, cérebro de La Casa de Papel, revelou que inicialmente o papel de narrador da história era contemplado por outros personagens. Tokio estava longe de ser a primeira escolha.

"O que muitas pessoas não sabem é que a narração do narrador, que é Tokio, nem sempre foi assim. De fato, nas primeiras versões do roteiro que tínhamos, o narrador era  o professor (Álvaro Morte )", disse Piña em uma transmissão de vídeo no Instagram do produtor da Vancouver Media.

Afina, por que o professor não virou narrador?

"Era meio egocêntrico falar sobre um plano, sobre seu plano maravilhoso, sobre um plano perfeito, quando ele falava. Ele parecia perder parte da métrica do professor. Queríamos que ele fosse um pouco perdedor, um pouco nerd, um pouco sociopata, social e o fato de ter o plano na primeira pessoa era contraditório com sua própria personalidade", explicou Pina.

Depois de descartar o líder da gangue como narrador, houve outra aposta antes de chegar a Tóquio. Pina e sua equipe testaram a opção de Moscou, pai de Denver, por ter um estilo casual e próximo, mas essa ideia também não prosperou.

O intenso debate acabou dando razões irrefutáveis para decidir "Tóquio" como narrador. "Sentimos que a série tinha que ser contrabalançada, em termos femininos, e escolhemos um visual feminino para contar todo o assalto porque queríamos que o assalto fosse muito emocional, em termos sentimentais. E um assalto é geralmente algo muito frio, muito masculino, por isso escolhemos a voz de Tóquio”, disse Álex Pina.

LEIA TAMBÉM:

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo