Caravaggio 2: Milo Manara se concentra nos últimos anos do pintor

Por Eduardo Ribeiro - Metro Jornal

Em “Caravaggio 2 – O Perdão”, HQ que sucede “Caravaggio – A Morte da Virgem” (Veneta; R$ 94,90), temos o reencontro de dois irrefutáveis estetas da arte italiana: o mestre do erotismo Milo Manara e o pintor Michelangelo Merisi de Caravaggio (1571-1610). No primeiro volume, lançado em 2015, Manara aborda o momento em que Caravaggio torna-se famoso. Já “O Perdão” se volta aos últimos anos de vida do artista, constantemente perseguido por desafetos poderosos. Viajando país afora com os artistas de rua e charlatões, ele acaba por encontrar inspiração para a sua obra-prima.

Esta é certamente a mais ambiciosa obra da carreira de Milo Manara, uma biografia em quadrinhos sensível e cirúrgica sobre a trajetória do enigmático e escandaloso pintor, que se fez conhecer, além do sublime talento que exerceu influência decisiva no estilo barroco, por dividir seu tempo entre a vida nos palácios do Vaticano, bebedeiras em bordéis e temporadas na prisão.

A narrativa se fecha no desejo de Caravaggio de conseguir o perdão do Papa pelos crimes cometidos. A jornada dura apenas quatro atormentados anos. Manara consegue aglutinar aqui todos os grandes momentos da vida do gênio, atendo-se às pesquisas documentais, inclusive as mais recentes, mas seu recorte supera dados históricos, o que garante o prazer da leitura.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo