MasterChef - A Revanche: 'Me sentia menos favorito que o Estefano', diz o campeão Vitor

Por Karen Lemos - Portal da Band

Vitor Bourguignon, campeão do MasterChef – A Revanche, teve uma disputa acirrada com Estefano Zaquini antes de colocar as mãos no tão sonhado prêmio do talent show de culinária. Em entrevista ao Portal da Band logo após a sua vitória, o curitibano falou sobre a pressão que tomou conta da final.

Leia mais:
MasterChef Brasil: Inscrições para 2020 já estão abertas
MasterChef – A Revanche: Jiló e caju ‘obrigatórios’ assustam finalistas
"Eu me sentia um pouco menos favorito que o Estefano por causa da trajetória dele após participar do programa. Ele tem três anos a mais de carga e experiência do que eu, mas, por sorte ou interferência divina, consegui desempenhar um trabalho minimamente melhor e, por um ponto, o resultado é esse aqui na minha mão: o troféu", disse o jovem cozinheiro.

O vencedor avaliou que ter valorizado os ingredientes obrigatórios foi o diferencial do seu menu. "[A valorização] do jiló e do caju imagino que tenha sido o ponto de diferença, mas só falando com os jurados pra saber".

O finalista também falou sobre sua transformação da quarta temporada do programa para esta edição. "Sinto que sou a mesma pessoa da primeira participação no MasterChef. O que mudou, basicamente, foi a vivência na cozinha. Dois anos separam uma participação da outra, que foi de aprendizado na bocão fogão, na frente da churrasqueira, estudando, fazendo cursos; com certeza essa caminhada fez a diferença", detalhou.

Vitor comentou ainda sobre os meses nos quais trabalhou no Arturito, restaurante da chef Paola Carosella, e a influência da cozinha da jurada em seu menu. "Os meses que passei lá foram de extrema valia para chegar aqui com repertório maior e isso foi demonstrado na final com alguns toques, como as migas na entrada e o chimichurri no prato principal".

De entrada, Vitor serviu um jiló defumado, emulsão de mostarda com tangerina, patê de fígado de galinha e migas. O prato principal foi bife de chorizo com farofa de presunto cru, purê de inhame e alho negro e molho chimichurri com pinhão. Para completar o menu, mousse de chocolate amargo, compota de caju, crumble de castanha de caju e gelatina de cajuína de sobremesa.

Com a vitória, além do troféu, o cozinheiro vai receber R$ 250 mil. "[O dinheiro] vai me dar a possibilidade de estruturar o meu buffet para atender a grandes eventos; vou conseguir tirar esse sonho do papel e colocar em prática", revelou Vitor, que pensa ainda em divulgar seu trabalho nas redes sociais. "É uma vertente que, modéstia à parte, tenho uma capacidade boa. Adoro ensinar, já dou alguns cursos em Curitiba de churrasco e carnes. Por que não passar isso para as redes sociais, YouTube, e atingir o público para aprender um pouco comigo?".

Vitor também ganhou um curso de técnicas tradicionais da culinária francesa no Le Cordon Bleu Rio de Janeiro, uma cozinha completa da nova linha Brastemp Gourmand, uma cozinha equipada com produtos da Tramontina, R$ 1 mil por mês durante um ano para fazer compras com o cartão Carrefour e os R$ 17 mil que conquistou durante a temporada. Já o vice-campeão Estefano, além dos R$ 16,5 mil acumulado com as vitórias durante a temporada, será premiado com R$ 1 mil por mês, durante um ano, para fazer compras com o cartão Carrefour.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo