Museu Afro Brasil inaugura exposição para celebrar o Dia da Consciência Negra

Por Metro Jornal

O Museu Afro Brasil tem programação especial a partir desta quarta-feira, 20 de novembro. A data comemora o Dia da Consciência Negra, e novas exposições também celebram os 15 anos da instituição.

Com foco nas artes plásticas, as mostras trazem desde homenagens a Castro Alves até à Mãe Aninha, famosa mãe-de-santo baiana, que completaria 150 anos em 2019.


Confira a seguir as atrações disponíveis a partir desta quarta-feira:

Castro Alves – 150 anos do poema O Navio Negreiro
A instalação de Emanoel Araújo celebra o famoso poema do romântico abolicionista, e é inspirada também em xilogravuras da Hansen Bahia, que ilustram o sofrimento da população escravizada. Também integra a obra o áudio do poema nas vozes de Caetano Veloso e Maria Bethânia, com participação de Carlinhos Brown.

As gravuras aquareladas de Rugendas – Doação de Ruy Souza e Silva
12 imagens construídas por litogravura doadas à coleção do Museu Afro Brasil trazem o contexto da vida dos negros durante o período escravocrata brasileiro.

Museu Afro Brasil - litogravuras Divulgação

Walter Firmo – Ensaio sobre Bispo do Rosário
Interno por quase toda sua vida na Colônia Psiquiátrica Juliano Moreira, no Rio de Janeiro, o artista Arhur Bispo do Rosário (1911-1989) foi retratado neste comovente e único ensaio fotográfico produzido por Walter Firmo no ano de 1985.

Anderson AC – Pintura Muralista Um total de 14 obras, entre pinturas e infogravuras, colocam o público em contato com a pintura espessa e expressionista do artista baiano Divulgação

Rommulo Conceição – Tudo que é sólido desmancha no ar
São apresentadas fotografias da série intitulada “Entre o espaço que eu vejo e o que percebo, há um plano”, de 2016-2017, desenhos sobre fotografias da série “Tudo que é sólido desmancha no ar", de 2017, e a escultura/instalação “Duas pias, ou quando o lugar se transforma em conteúdo”.

Paulo Pereira – Geometria de Paulo Pereira
29 esculturas trazem a público a geometria de caráter quase minimalista da produção do artista.

Anderson AC – Pintura Muralista
Um total de 14 obras, entre pinturas e infogravuras, colocam o público em contato com a pintura espessa e expressionista do artista baiano.

Pintura muralista do artista baiano Anderson Cunha Divulgação

Elvinho Rocha – Pinturas do inconsciente
Élvio Rocha exibe 44 obras, entre pinturas em tinta acrílica sobre tela e guaches sobre papel, que mostram sua representação dos símbolos guardados em seu subconsciente.

Euloge Glélé – Esculturas dos Deuses Africanos do Benim
Conhecido pelas esculturas de máscaras tradicionais dos gèlèdes, o artista natural do Benim apresenta nesta individual estatuetas de argila cozida com representações de personagens de cerimônias tradicionais encontradas nos terreiros dos povos fon.

Alphonse Yémadjè – Símbolos dos Reis Ancestrais do Benim
Nesta individual, o veterano artista africano apresenta dez obras criadas a partir do aplique ou “aplique”, técnica de junção, justaposição, costura ou enlace de materiais têxteis sobrepostos, cujo conjunto resulta num verdadeiro livro de histórias em quadrinhos.

Arte Nativa – África, América Latina, Ásia e Oceania” e livro “Fetiches – Diário de uma coleção de arte tribal, de Christian-Jack Heymès
Na exposição são apresentadas 51 esculturas, além de tecidos, indumentária tradicional e colares do antiquário e colecionador francês de arte tribal, radicado em São Paulo desde os anos 1970.

João Câmara, Rap e Samba no Dia da Consciência Negra
Com curadoria de Emanoel Araujo, também será aberta nesta quarta-feira, dia 20 de novembro, às 11h, a exposição “João Câmara – Trajetória e Obra de um Artista Brasileiro”, que apresenta um conjunto com cerca de 50 obras (entre pinturas e litografias) do artista paraibano radicado em Pernambuco e conhecido por refletir em sua obra as raízes da cultura nacional.

Pintura do artista paraibano João Câmara Divulgação

SERVIÇO

Mês da Consciência Negra no Museu Afro Brasil
Quando: a partir de 20 de novembro
Onde: Av. Pedro Álvares Cabral, s/n – Parque Ibirapuera – Portão 10 (acesso pelo portão 3)
Horários: de terça-feira a domingo, das 10h às 17h
Ingressos: R$ 6; gratuito aos sábados

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo