Moda italiana é tema de mostra no Tomie Ohtake

Por Metro Jornal

Escola que surgiu no pós-guerra, a moda italiana rapidamente ganhou respeito, por conta de suas peças de estética marcante. Um recorte dessa produção é apresentado no Instituto Tomie Ohtake, na exposição “Vestindo o Tempo – 70 Anos de Moda Italiana”, que reúne 45 peças selecionadas da coleção de Enrico Quinto e Paolo Tinarelli, detentores de um arquivo com seis mil itens.

Veja também:
MIS apresenta exposição ‘Musicais no Cinema’ que aborda o universo do gênero cinematográfico
‘O Irlandês’: Com Robert De Niro, novo filme de Scorsese conta a história da máfia nos EUA

Com curadoria do historiador João Braga, a mostra, dividida em três núcleos, aborda estilistas, criações e eventos que colaboraram para a projeção da moda italiana.

De acordo com Braga, o ponto de partida da moda contemporânea italiana aconteceu em 1951, quando o marquês Giovanni Battista Giorgini promoveu um desfile em Florença. A primeira parte da exposição foca nesse período e a produção de Emilio Schuberth, Sorelle Fontana, Roberto Capucci e Emilio Pucci.

O segundo plano aborda as décadas de 1970 e 1980 e o prêt-à-porter de Valentino, Giorgio Armani, Franco Moschino, Gianni Versace, Mila Schön, Elio Fiorucci e Missoni.

A terceira fase traz obras do final do século 20 até hoje, quando ganham relevância as antigas e tradicionais Prada (1913) e Gucci (1921), e a intensidade de Dolce & Gabbana e Versace.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo