Atração principal do Popload, Patti Smith também faz lançamento de dois livros em São Paulo

Por Metro Jornal

São Paulo, enfim, terá a chance de ver Patti Smith de perto. A icônica cantora e poeta norte-americana vem pela primeira vez à cidade, como headliner do Popload Festival, que acontece sexta, no Memorial da América Latina.

Sua estreia no país foi em 2006, no extinto Tim Festival, com shows em Curitiba e Rio, mas agora os paulistanos terão mais de uma chance de ver a cantora de perto. Além do Popload, Patti faz apresentação sábado no Auditório Simón Bolívar, com ingressos esgotados, e também tem um encontro com o público amanhã, às 14h, no Sesc Pompeia, no lançamento de seus livros mais recentes, “Devoção” e “O Ano do Macaco”.

O papo terá mediação de Fernanda Diamante, curadora da Flip, e ingressos gratuitos distribuídos uma hora antes.

Veja também:
Blocos de Carnaval terão de desligar som até 19h
MasterChef – A Revanche: o eliminado desta terça-feira foi Fábio Nunes

Lançamentos

“O ano do macaco” (Patti Smith – Cia. das Letras, 168 págs. R$ 50)

O ano é 2016 e ele não é o melhor na vida de Patti. Prestes a completar setenta anos, ela precisa lidar com a perda de dois amigos – seu mentor, o músico Sandy Pearlman, e seu referencial artístico da vida toda, e o escritor Sam Shepard – além da eleição de Donald Trump presidente dos EUA.

“Devoção” (Patti Smith – Cia. das Letras, 144 págs. R$ 40)

Dividido em três partes, Patti faz uma reflexão sobre questões como de onde vem as ideias para escrever, porquê se escreve e como e de onde vêm as inspirações, a partir de relatos, quase diários de momentos de uma viagem a Paris. Um verdadeiro relato íntimo de seu processo criativo.

O show de Patti Smith

Patti vem afiada com sua banda, que inclui o guitarrista/amigo de longa data Lenny Kaye, que toca com ela desde 1974, o baterista Jay Dee Daugherty, ao seu lado desde 1975, o baixista Tony Shanahan, na banda desde 1996, e o caçula, o guitarrista Jackson Smith, no grupo desde 2016. O concerto terá cerca de 15 músicas, em um apanhado de seus 11 álbuns, além de uns poucos covers, entre eles “After The Gold Rush”, de Neil Young, presente no repertório de quase todas as suas apresentações deste ano.

O show de sábado, com plateia sentada, deve ter um tom mais intimista, mas não menos impactante.

Patti Smith Patti Smith, que fecha o Festival Popload no Memorial da América Latina / Ray-Ban via Getty Images
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo