Festa por Havana terá dez horas de música e dança em São Paulo

Por Estadão Conteúdo

Os cinco séculos de fundação de Havana, capital de Cuba, serão comemorados em um dia que pode entrar para o calendário dos paulistanos como a maior inserção na cultura cubana em São Paulo. Serão mais de 12 horas seguidas, a partir das 15h deste sábado, 2, até a última atração nos palcos, à meia noite, com uma programação pensada pelos integrantes da Associação de Cubanos Residentes no Brasil. O evento, com entrada gratuita e direção artística da Difusora Cultural Havana 6463, será a partir das 15h no Centro Cultural Estação Estrella Galicia Rio Verde (CCRV), na Vila Madalena. O nome: Festival Dia da Cultura Cubana.

Além da música cubana, uma das três potências mundiais segundo o trompetista Dizzy Gillespie – as outras seriam as sonoridades norte-americana e brasileira -, a mostra conta com degustação de pratos da tradicional culinária cubana, apresentações de parceiros da dança cubana (tão rica quanto à música), exposições de fotos e de artes plásticas, exibição de documentários e até um workshop para se aprender, ou saber como se faz, charutos, um dos principais artigos de exportação da Ilha.

Os shows começam às 15h, com o sensacional baixista Carlos Ceiro e seu grupo Los Seis do Sur. Eles focam o repertório na música cubana feita nos anos 20 e 30, muitas delas revividas durante os anos 2000, quando o mundo descobriu o grupo Buena Vista Social Club. Às 18h, no show Quimbara Convida Fernando Ferrer, o grupo paulistano de pesquisa das sonoridades caribenhas mostra ritmos que embalam festas e danças de Porto Rico e Colômbia, com cumbias e cha cha cha de Willie Colon e Hecyor Lavoe, Orchestra Harlow, Conjunto Chappottín, Arsenio Rodriguez, Lucho Bermúdez e Simon Diaz. O cantor Ferrer, de Santiago de Cuba, tem atuado bastante em São Paulo nos últimos anos.

Às 20h será Yaniel Matos, jazzista e violoncelista cubano radicado em São Paulo, que mostra sua sonoridade elegante ao lado dos brasileiros Cuca Teixeira (bateria), Sidiel Vieira (baixo) e Luiz Cabrera (sax). Ele entrega então o palco às 22h para a explosiva Batanga & Cia, idealizada pelo percussionista inventivo e profundo conhecedor dos ritmos cubanos, Pedro Bandera. Ele lidera uma agrupação que faz pontes entre culturas cubanas e brasileiras com músicos e divisões rítmicas dos dois países, em uma formação que conta ainda com flauta, piano e contrabaixo, samba, son e choro.

A noite termina depois do show Timba Havana Convida Marina de la Riva, marcado para começar à meia noite. A orquestra Timba Havana conta com doze músicos, cubanos e brasileiros, é traz temas temas autorais e e outros consagrados. A proposta sonora do grupo é a timba, um gênero considerado a evolução da salsa, forte desde os anos 90. Filha de pai cubano, a brasileira Marina de la Riva também mistura influências dos dois países.

Um dos momentos curioso será um concurso de danças populares, como o guaguancó, o pilón, o mambo, cha cha cha, casino e son, que vai oferecer ao casal vencedor uma viagem de uma semana para Cuba, com despesas pagas (as inscrições já foram encerradas). E entre as atrações, a DJ peruana CecYza, o brasileiro Mauricio Bade e o cubano Julio Moracén não deixam a noite parar, com estilos latinos bem diferentes.

SERVIÇO

Festival pelo Dia da Cultura Cubana

Onde: Centro Cultural Estação Estrella Galicia Rio Verde

Endereço: Rua Belmiro Braga 1119 – Vila Madalena

Quando: 2 de novembro (sábado)

Horário: a partir das 15h

Ingresso: grátis

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo