Marco Antonio Villa estreia na Rádio Bandeirantes: ‘Quero fazer uma leitura crítica e propositiva’

Historiador e comentarista político estreia nesta segunda-feira (15) como âncora do ‘Primeira Hora’, atração matinal diária da Rádio Bandeirantes

Por Metro Jornal

Com mais de 30 livros publicados e uma consolidada trajetória como comentarista político, o historiador Marco Antonio Villa assume a partir de hoje a missão de ancorar o programa “Primeira Hora”, que vai ao ar de segunda a sábado, das 7h às 8h, na Rádio Bandeirantes.

Você é conhecido como comentarista. O que muda no papel de âncora?

Para mim, é um desafio, uma nova experiência. Esse é um grande grupo de comunicação, com uma tradição enorme no jornalismo. Tenho muito orgulho de fazer parte dessa equipe. Terei a mesma postura de buscar sempre fazer uma leitura crítica e propositiva em um momento muito difícil da conjuntura política brasileira. Os tempos são muito complexos, e vou buscar sempre trazer o olhar de historiador, com alguma reflexão e uma interpretação para vermos um pouco mais do que já estamos vendo.

Quais os principais desafios da cobertura do noticiário político atual?

O país está muito tenso e polarizado como nunca esteve. A dificuldade está em buscar uma análise racional e científica em um momento em que o irracionalismo domina a política brasileira.

É possível equilibrar opinião e informação?

Fácil não é, mas é possível. É um exercício diário. O interesse por política nunca foi tão grande, mas também o extremismo e o fanatismo nunca foram tão grandes no Brasil.

Qual o papel da imprensa neste momento do país?

É um papel muito difícil mesmo, mas já houve outros muito difíceis na história do Brasil, e nós vamos superá-lo.

Qual o diferencial do rádio em um momento no qual as pessoas se informam cada vez mais por redes sociais?

O rádio foi se reinventando. Ele já morreu várias vezes e continua vivíssimo. Essa reinvenção foi concomitante a um processo de interesse muito grande pela política que vem desde 2014. O rádio passou a ter um papel enorme em todos esses momentos de tensão e virou também um trabalho de educação. Ele não é só notícia, mas discute, analisa e educa politicamente, o que é muito saudável.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo