Fênix Negra: ‘Quanto mais poder, mais difícil é lutar’, diz Sophie Turner

Por Cristina Urrutia A. - Metro Internacional

Ninguém imaginava no que o cinema de super-heróis se transformaria quando os quadrinhos dos X-Men deram origem a uma franquia no ano 2000. Doze filmes depois, esse arco é fechado agora com “X-Men: Fênix Negra”, que estreia nesta quinta-feira (6). Esse é o último longa da saga mutante sob o comando da Fox antes de ela passar para as mãos da Disney, que poderá reeditar as histórias no futuro.

O protagonismo fica com Sophie Turner, 23, na pele da telepata Jean Grey, que precisa aprender quem ela é quando se vê diante de novos poderes cobiçados por uma alienígena vivida por Jessica Chastain. Já  James McAvoy, Michael Fassbender e Jennifer Lawrence retomam os papéis de Professor Xavier, Magneto e Mística.

Leia mais:
VillaMix Festival é adiado; saiba como recuperar o valor do ingresso
007: Explosão durante filmagem do novo filme de James Bond deixa um ferido

Você pode falar sobre essa transformação de Jean?

Uma vez que ela é atingida por uma explosão solar, muita coisa muda. Não é apenas o poder dela que aumenta… Quando ela deixa esse poder vir à tona, ela se torna incrivelmente forte e focada e se sente empoderada por ele. Mas esse poder também se manifesta de maneiras destrutivas, o que a faz rejeitá-lo diversas vezes. Esse é o problema com o qual ela precisa lidar.

Como é interpretar uma das mutantes mais poderosas do universo Marvel?

É muito estimulante interpretar uma personagem forte. O maravilhoso é que Jean precisa lidar com esses poderes, e essa é uma mensagem importante de se transmitir. Acredito que o poder surge das várias decisões que tomamos, inclusive decisões morais. Essas lutas internas ficam mais difíceis quanto mais poder você tem. 

Você ficaria satisfeita se esse fosse o último filme do universo X-Men?

Esse filme é uma combinação de todos os anteriores. Acho que seria um bom fechamento, mas certamente há espaço para explorar ainda mais.

Como foi ter Jessica Chastain como mentora?

Foi incrível! Apenas observá-la no set, mesmo sem atuar, já era realmente inspirador. Aprendi bastante com ela.

Assista ao trailer:


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo