MasterChef Brasil: ‘Sonhei a noite inteira com ostras’, revela Janaina

Por Band.com.br

Depois de enfrentarem uma prova sobre facas e suas utilidades, os participantes do MasterChef Brasil tiveram que mostrar suas habilidades com ostras. Apesar de não serem informados previamente sobre as provas que irão fazer, a taróloga Janaina Caetano já estava esperando uma prova que envolvesse os moluscos.

Leia mais:
MasterChef Brasil: ‘Filho da p***!’, brinca Juliana ao falar de Fernando
MasterChef Brasil: Fogaça explica uso de tipoia durante as gravações

"Eu sonhei a noite inteira com ostras. Eu sonhava alguma coisa e a ostra aparecia. Cheguei até a comentar com o Rodrigo [Massoni] antes da prova. Quando vi aquela mesa cheia de ostras, eu falei para ele: 'Olha isso'. A Ana Paula Padrão perguntou se eu tinha gostado, porque eu estava rindo. Mas eu ri porque eu tinha sonhado com ostras", contou a paulista em entrevista ao Portal da Band.

Apesar de estar esperando a prova, a taróloga não estava totalmente preparada para o desafio. "Eu só abri três ostras na minha vida. Sabia que você tinha que enfiar a faca e virar. Só que eu coloquei a faca, virei e quebrou a casquinha. E aí já era. Não deu muito certo", lamentou Janaina.

A chance de se salvar veio então na prova de reprodução de sopas clássicas. "Eu achei que aquelas sopas era só inspirações. Já estava imaginando eu ali no mercado pegando uma abóbora, pegando bacon. Eu queria fazer um creme de abóbora, que ia ficar uma delícia. Quando o Fernando [Consoni] falou para fazer a harira, eu fiquei com medo. Então, eu pedi para ver porque eu não tinha nem ideia do que tinha. Eu estava com a cabeça na minha sopa de abóbora", afirmou.

"Quando eu olhei, vi que tinha o grão de bico, cordeiro, vi que era bem vermelho, então imaginei que tivesse tomate. Fui mais ou menos no faro, perguntei para o pessoal do mezanino que tempero usar e eles falaram tempero sírio. Em questão de tempero, eu sabia o que pegar, mas queria saber qual rumo tomar. Ao final, eu experimentei a sopa e estava gostosa, mas meu medo era: 'Eu fiz o que eles pediram?"", contou a taróloga.

"Eu sabia que estava bom, mas eu nunca tomei harira, nunca li sobre, não sabia nem que existia. Eu realmente me questionei: 'Será que fiz a sopa que eu realmente tinha que fazer?' Ficar entre os destaques foi um presente, um alívio. Principalmente para mim, que venho de porrada atrás de porrada", finalizou.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo