Gucci usa bordado de útero e motes feministas em desfile contra criminalização do aborto

Por Metro Jornal

Nos Estados Unidos, o debate em torno do aborto esquentou após movimentações em Estados como o Alabama e a Geórgia ameaçarem a legislação que, atualmente, vigora em favor do poder de decisão das mulheres. Ao mesmo tempo, na Europa, o estilista Alessandro Michele, da Gucci, buscou inspiração no movimento feminista para compor o mais recente desfile da grife.

LEIA MAIS
Fim de ‘Game of Thrones’ leva Kit Harington a clínica de reabilitação
IZA se junta ao time de jurados do ‘The Voice Brasil’

As roupas transitam entre mensagens literais e mais subjetivas – entre um desenho do aparelho reprodutor feminino, bordado em um dos vestidos, e um slogan do movimento feminista muito utilizado para defesa do direito ao aborto, o "Meu Corpo, Minha Escolha" ("My body, my choice").

View this post on Instagram

‘My Body My Choice’ is a feminist slogan from the 70s which appears on the reverse of this jacket seen before the #GucciCruise20 fashion show by @alessandro_michele. This piece echoes the Creative Director’s continuing vision of freedom, equality and self-expression. Since founding @chimeforchange in 2013—the global campaign that represents and advocates for gender equality—@gucci has a longstanding commitment to women and girls by funding projects around the world to support sexual and reproductive rights, maternal health, and the freedom of individual choice. Learn more about the global partners for sexual and family health rights the campaign is donating to in 2019, which can be found in @chimeforchange’s link in bio. @museiincomuneroma #AlessandroMichele #MuseiCapitolini

A post shared by Gucci (@gucci) on

Sediado no museu Capitolini, em Roma, o show trouxe peças de visual setentista, adornadas com frases, símbolos e até datas importantes para o movimento, e que advogam a favor da "liberdade, igualdade e expressão individual", segundo a marca.

View this post on Instagram

A uterus is embroidered on a pleated long sleeve gown designed by @alessandro_michele, moments before the #GucciCruise20 fashion show at @museiincomuneroma in Rome. This piece reflects the Creative Director’s continuing vision of freedom, equality and self-expression. Since founding @chimeforchange in 2013—the global campaign that represents and advocates for gender equality—@gucci has a longstanding commitment to women and girls by funding projects around the world to support sexual and reproductive rights, maternal health, and the freedom of individual choice. Learn more about the global partners for sexual and family health rights the campaign is donating to in 2019, which can be found in @chimeforchange’s link in bio. #AlessandroMichele #MuseiCapitolini

A post shared by Gucci (@gucci) on

O desfile ecoa os valores já defendidos na Chime, campanha global da Gucci fundada em 2013, que propõe unir e fortalecer vozes que clamem pela igualdade de gênero. Em entrevista, Alessandro Michele falou sobre a motivação em abordar questões de gênero e, mais especificamente, do aborto, ao criar suas peças:

"Entre outras citações, há referências [na coleção] aos anos 70, um momento em que as barreiras eram mais turvas do que hoje. Era um momento histórico no qual mulheres finalmente rejeitaram todas as amarras impostas em séculos anteriores, e tornaram-se livres", explica.

"É inacreditável que ao redor do mundo ainda existam pessoas que acreditam poder controlar o corpo, a escolha de uma mulher. Eu sempre estarei do lado da liberdade de ser, sempre", defende.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo