Chernobyl: Estas imagens reais mostram que 'Esquadrão Suicida' realmente existiu

Por Victória Bravo

Mesmo sendo um dos maiores desastres nucleares do mundo, a explosão da Usina de Chernobyl em 1986, na Ucrânia, ainda consegue surpreender com sua história triste e chocante. Mesmo assim, a nova minissérie da HBO baseada no drama real de quem viveu a tragédia de perto, consegue entregar fatos contraditórios que podem ser questionados por muitos espectadores.

Um deles foi a veracidade do “esquadrão suicida” que limpou e removeu os destroços extremamente radioativos deixados no teto da usina.

A cena impactante foi retratada no quarto episódio de “Chernobyl” – disponíveis para usuários de HBO go – e foi baseada em imagens reais. Confira:

De acordo com o portal Screen Rant, a fase de limpeza que ocorreu no final de 1986, quando os destroços precisavam ser removidos ou pelo menos colocados de volta ao núcleo para que uma construção chamada de "sarcófago" abrigasse o reator e o protegesse.

Inicialmente, robôs foram usados ​​para remover os detritos em certas áreas, mas alguns deles não funcionaram como o esperado, o que levou a União Soviética e a Comissão de Chernobyl a usar seres humanos para remover literalmente com as próprias mãos o material radioativo.

De acordo com o livro, Chernobyl: Confessions of a Reporter , do autor Igor Kostin, a grande maioria dos membros do “esquadrão suicida” era de meia-idade. Além disso, eles só poderiam estar no telhado por um período muito curto de tempo.

A produção menciona que permanecer no telhado por mais de um minuto ou dois era o suficiente para diminuir a expectativa de vida de alguém, tanto que após cada missão os uniformes e equipamentos de proteção tinham que ser descartados por apresentar altos níveis de radioatividade.

No início, acreditava-se que cerca de 3.400 homens fizeram esse trabalho, mas o número real foi apontado mais tarde como equivalente a 3.828 pessoas.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo