Slash defende riffs em projeto autoral; turnê passa por oito capitais brasileiras

Por Metro Porto Alegre

Aos 53 anos e confortável na posição de um dos guitarristas mais admirados do mundo, Slash volta ao Brasil para uma turnê por oito capitais. Depois de visitar Porto Alegre, Florianópolis e Curitiba, ele chega neste sábado (25) a São Paulo.

Em 2017, o músico participou de uma série de shows em que retomou a formação original do Guns N’ Roses, com Axl e Duff McKagan, resultando em uma das maiores bilheterias musicais de todos os tempos.

Leia mais:
Cultura Inglesa Festival abre com teatro e mostra; Lily Allen é destaque
Carlinhos Maia expõe motivos da briga com Whindersson e internet vira palco para troca de farpas

Dessa vez, o guitarrista britânico é o cicerone de um projeto mais pessoal, que o reúne à banda Myles Kennedy & The Conspirators. Isso faz com que Kennedy assuma os vocais, à frente do grupo formado por Brent Fitz (bateria), Todd Kerns (baixo) e Frank Sidoris (guitarra).

Juntos desde 2011, os músicos mostram o repertório de seu terceiro disco, “Living the Dream”, considerado pela crítica o trabalho coletivo mais forte da banda.

O projeto traz, inclusive, uma novidade: pela primeira vez, Slash passa uma mensagem política em suas músicas – o título faz referência à atual Era Trump.

Antes deste disco, a banda  lançou “Apocalyptic Love” (2012) e  “World on Fire” (2015), que sacramentaram a parceria e foram bem recebidos pelo público, mantendo Slash com a mesmo protagonismo que tinha com suas bandas anteriores: além dos Guns, ele tocou também com Snakepit e Velvet Revolver.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo