Virada Cultural encerra maior edição da história marcada por diversidade

Por Metro Jornal

O aumento do número de atrações anunciado para a Virada Cultural, de 800 para 1.200, se reverteu também no aumento do público do evento, que encerrou neste domingo (19) sua 15ª edição.

Segundo balanço prévio da prefeitura, as atividades foram conferidas até as 16h de domingo por 4,6 milhões de pessoas – 1,6 milhões a mais do que em 2018.

Leia mais:
Cinema marginal dá adeus a Luiz Rosemberg Filho
Museu do Ipiranga fica pronto antes do bicentenário e deve reabrir em 2022

Isso aconteceu após a programação ter se espalhado por CEUs e centros culturais de todas as zonas da capital sem esfriar a grade de shows do centro, que reuniu multidões, especialmente, para os shows de Anitta e Criolo, responsáveis por reunir 200 mil pessoas cada. 

“Estamos muito felizes com a aceitação do público e acredito que alcançamos maior público porque essa foi a Virada da diversidade, todo mundo se sentiu representado porque trouxemos diversos estilos de música e arte”, afirmou o prefeito Bruno Covas na tarde de domingo.

Essa diversidade se traduziu na forma tranquila com a qual roqueiros dividiram espaços com palhaços, cantores de ópera e artistas queer, mas também no incremento da acessibilidade, com a ampliação do número de atrações que receberam tradução simultânea em libras.

Ainda segundo o prefeito,  foram recolhidas mais de 12 toneladas de lixo e 12 pessoas foram hospitalizadas. Houve dez detenções em flagrante, mas o número total de furtos e roubos não foi revelado. Um bebê foi encontrado abandonado dentro de um carrinho e encaminhado ao Conselho Tutelar.

Foi bem

  • Acessibilidade
    A ampliação da tradução simultânea em libras para alguns dos shows mais procurados, como o de Anitta.
  • Gastronomia
    A setorização a partir de festivais gastronômicos contou com boa estrutura e cardápios que foram além do óbvio.
  • Diversidade
    Ter música clássica, gospel, samba e funk em um raio de cem metros favoreceu ampliação de repertório do público.

Foi mal

  • Atrasos
    O show de atrações aguardadas, como Diogo Nogueira, Rincon Sapiência e Teresa Cristina, chegou a demorar uma hora.
  • Estrutura
    Faltou sinalização para indicar quando a presença de determinado palco bloquearia por completo a passagem por alguma via.
  • Trânsito
    O fechamento para carros da av. Paulista e de parte da rua da Consolação provocou congestionamentos.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo