Sertanejos Jorge e Mateus suspendem contrato com Villa Mix após denúncias de agressão na boate

Por Metro Jornal

A casa noturna Villa Mix têm enfrentado críticas e boicotes após mais uma denúncia de agressão vir à tona, contra funcionários da boate. A dupla sertaneja Jorge e Mateus, que fazia shows regulares nas casas da franquia, suspendeu "por prazo indeterminado" a licença de uso do nome artístico e de imagem com a boate em São Paulo.

O comunicado, em nota, menciona a conduta dos seguranças do local. A assessoria afirma que os relatos "afastam absolutamente o interesse dos cantores em ter o nome e a imagem vinculados à referida casa de entretenimento".

No estabelecimento baseado no bairro Vila Olímpia, na capital paulista, uma denúncia de agressão física surgiu na última semana. Uma publicitária foi às redes sociais e contou à revista Cláudia sobre ter sido retirada da pista de dança, levada até uma sala fechada nos fundos do local, e espancada por cinco seguranças.

LEIA MAIS:
Jovem diz ter sido espancada por seguranças em casa noturna da Vila Olímpia

A marca Villa Mix mantinha parceria com a casa noturna JHLS Lanchonete e Choperia, local remetente à agressão. Tal parceira foi suspensa até o esclarecimento dos fatos.

Em nota, a JHLS repudiou "qualquer acusação de agressões a clientes" e afirmou que sua equipe de segurança "é treinada para garantir o bem-estar e a integridade física dos clientes".

A empresa também acusou a cliente que relatou a agressão de "protagonizar agressões" e "agredir física e verbalmente, inclusive com injúrias raciais, diversos funcionários e colaboradoradores da segurança".

Não se trata do primeiro relato de agressão física ou verbal dentro de uma boate da marca. Em 2017, duas jovens prestaram um depoimento à polícia paulistana descrevendo um episódio similar ao da cliente Taynara Diniz, envolvida no caso mais recente.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo