Contracultura e geração beat inspiram livro com crônicas e entrevistas

Por Metro Curitiba
capa textos contraculturais cronicas anacronicas e outras viagens

Em seu mais novo livro, “Textos contraculturais, crônicas anacrônicas & outras viagens”, o jornalista e escritor Eduardo Bueno, o “Peninha”, reúne crônicas, entrevistas e textos jornalísticos sobre escritores que marcaram a chamada “geração beat” – fenômeno cultural que influenciou escritores e poetas norte-americanos no fim dos anos 1950.

Além de Jack Kerouac – um dos representantes da geração beat e autor de “On the road” (“Pé na Estrada”), obra que ganhou tradução de Bueno no Brasil –, o leitor também é convidado a conhecer um pouco mais do mundo de escritores como Allen Ginsberg, William Borroughs e Charles Bukowski, jornalistas como Truman Capote e artistas como Little Richard.

Leia mais:
Em ‘Matriz’, Pitty explora influências do reggae e do rap
Livro apresenta judaísmo para crianças

“Foram [os “beats”] os antecessores dos hippies, os primeiros rebeldes. Tiveram um imenso impacto na contracultura”, diz Bueno. “E o país está precisando dessa rebeldia mais do que nunca”.

Dividido em três seções (as mesmas que dão nome à obra), o livro traz, primeiramente, as entrevistas, sob o título “Textos contraculturais”. Em seguida, há as “Crônicas anacrônicas”. Parte dos textos foi produzida no período em que Bueno trabalhava no jornal gaúcho Zero Hora e no Estadão.

Finalmente, a terceira parte do livro, intitulada “Outras viagens”, traz ensaios sobre os mais variados temas, incluindo história do Brasil – assunto sobre o qual já escreveu nas obras da Coleção Terra Brasilis.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo