MasterChef Brasil: 'Vim totalmente despreparado', diz Marcus Lima

Por Vinicius Melo - Portal da Band

Símbolo do MasterChef Brasil, a Caixa Misteriosa é capaz de colocar medo nos cozinheiros mais experientes e com o cozinheiro amador Marcus Lima não foi diferente. Em entrevista ao Portal da Band, o cirurgião-dentista contou que estava com medo do desafio.

Leia mais:
Masterchef Para Tudo: dica de Imaculada para cortar cebola sem chorar é destaque nas redes sociais

"Cara, eu vim totalmente despreparado. Porém, acho que isso foi também o que mais me ajudou: vir sem perspectivas do que poderia conter ali. Eu estava com medo, porque cada um aqui sabe suas inseguranças e seus pontos fracos, mas eu me senti confortável com a carne de porco", afirmou o paulista.

"A hora que eu vi a alcatra eu fiquei feliz, é uma coisa comum na minha vida. Eu só não queria que o Fernando [Consoni] 'roubasse' o porco, porque aí eu estaria na roça. Eu já tinha planejado usar a alcatra para desenvolver o contexto. O vinho, que ele pegou, eu não iria usar mesmo", completou.

Ao ser chamado por Henrique FogaçaPaola Carosella e Erick Jacquinpara a avaliação, Marcus ficou receoso de ser um dos destaques negativos. "Achei que estava entre os piores. Como o próprio Fogaça falou, eu estou indo muito no que eu conheço, no básico, no que eu sei, mas MasterChef é muito mais do que isso. Até aqui foi bacana, mas daqui para frente a imaginação tem que voar e eu já tenho consciência", disse.

"Tenho que me arriscar mais. Fazer pesquisa, tentar mais. Talvez porque essa foi a primeira prova, eu não quis arriscar muito. Mas esse contexto de memória, de resgatar a cozinha simples, acho que já deu. Todo mundo aqui sabe fazer o arroz com feijão bem feito. Então, a partir de agora, é preciso realmente diferenciar quem está preparado de quem não está", explicou o participante que preparou um alcatra suína agridoce, creme de milho com castanhas e palitos de mandioca.

Questionado se ser um destaque positivo logo de início pode ser uma desvantagem, o cirurgião-dentista disse que não. "Embora isso aqui seja uma competição, cada um tem o seu talento. Acredito que o equilíbrio emocional vai ser uma grande ferramenta aqui dentro. Entre o que vão falar, o que vão me cutucar, cabe a mim saber driblar isso e utilizar minhas estratégias ao meu favor", finalizou.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo