Lollapalooza: Com hits e ato político, Scalene embala primeiras horas do festival

Por Fred Lopes - Metro São Paulo
selo lollapalooza

Uma das primeiras bandas a se apresentar nesta edição do Lollapalooza, na tarde desta sexta-feira (5),  Scalene não se deixou intimidar pelo público ainda reduzido, que aos poucos ia ocupando o gramado do Autódromo.

Leia mais:
‘É nossa segunda primeira vez’, brinca guitarrista da Scalene sobre show no Lollapalooza
Lollapalooza: Portugal. The Man abre com protesto indígena; show atraiu multidão

Eles começaram com "Danse Macabre", um dos primeiros hits da banda. Gustavo, o vocalista e um dos guitarristas, agradeceu a oportunidade de voltar ao palco do festival – eles estrearam no Lollapalooza em 2015.

"Distopia" foi, definitivamente, a música que ganhou o público. A canção inicia tranquilamente, mas não demora a demonstrar a agressividade que a letra propõe: "homens de terno, podres por dentro e a Bíblia na mão".

Tudo isso embalado com imagens do Congresso Nacional e figuras públicas como o senador Aécio Neves (PSDB) e de Jair Bolsonaro (PSL). No final, a multidão gritou em coro contra o presidente da República.

Na sequência, músicas mais calmas como "Entrelaços" e "Extremo Pueris". Sem a presença do rapper BK', eles terminaram com "Legado", do álbum Éter.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo