Cinemark diz que exibição de filme pró-ditadura militar foi um erro

Por Estadão Conteúdo

A rede Cinemark exibiu, no último domingo, 31 de março, dia em que se completaram 55 anos do golpe de 1964, a pré-estreia do filme "1964: O Brasil entre armas e livros". A produção apoia a ditadura militar e foi exibida em salas de Belo Horizonte, Recife, Curitiba e São Paulo.

Leia mais:
Karol Conka recebe Linn da Quebrada e Gloria Groove no Rock in Rio: ‘são minhas referências’
‘É difícil não tocar em questões sociais e raciais’, diz Rashid, destaque nacional no Lollapalooza

O fato gerou polêmica nas redes sociais. Enquanto alguns internautas propuseram um boicote ao Cinemark, outros, como o deputado federal Eduardo Bolsonaro, defenderam o direito de exibição.

Em nota, a rede de cinemas disse não se envolver com questões político-partidárias e que a veiculação do longa foi "um erro de procedimento em função do desconhecimento prévio do tema". O Cinemark ressaltou, ainda, que não teve "qualquer envolvimento com a produção deste evento".

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo