Green Book: Conheça os personagens reais por trás da história do ganhador de Melhor Filme do Oscar

Por Metro Jornal

Tony Lip e Dr. Don Shirley são personagens tão perfeitos que nem parecem reais. Mas, sim, a história de "Green Book – O Guia", escolhido ganhador do Oscar de Melhor Filme no último domingo, 24 de fevereiro, aconteceu de verdade.

Leia mais:
Oscar 2019: ‘Green Book: O Guia’ triunfa e leva a estatueta de Melhor Filme
Oscar 2019: A amizade real que fundamentou a história de Green Book e outros fatos sobre o filme

O pianista clássico Dr. Don Shirley, negro, contratou o segurança de boate Tony 'Lip' Vallelonga para acompanhá-lo em uma turnê pelo Sul dos Estados Unidos em plena segregação racial. Enquanto Doc, como o músico ficou conhecido, tinha modos refinados e muita cultura, Tony era um tipo atarracado que costumava resolver as coisas no braço.

Saiba mais sobre os dois homens, protagonistas do longa de Peter Farrelly, abaixo:

Dr. Don Shirley (interpretado por Mahershala Ali, ganhador do Oscar de Melhor Ator Coadjuvante)

Shirley foi, sem exagero, um gênio do piano. Filho de um líder religioso, o menino de origem jamaicana começou a tocar aos 2 anos. Aos 9, já acompanhava o pai nos cultos assumindo o instrumento da igreja. No filme, ele aparece falando russo e isso era uma realidade: ainda criança, foi enviado ao Conservatório de Leningrado (São Petersburgo).

Aprender idiomas, inclusive, não foi um problema para ele: falava oito línguas. O doutor que acompanhava seu nome também é verdade: tinha doutorado em Psicologia.

À época em que excursionou com Tony Lip pelo Sul norte-americano, apresentava um repertório de jazz convencido por empresário que lhe diziam que um negro jamais seria poderia tocar Chopin em nenhum auditório do país.

Paralelamente aos lançamentos jazzísticos, tentava dar vazão à sua paixão por música de concerto: gravou uma peça de Rachmaninoff com a Orquestra Filarmônica de Nova York, mas não conseguiu lançar o álbum, já que nenhum selo se interessou. Detalhe: anos antes, o próprio compositor russo Igor Stravinsky elogiou: “Seu virtuosismo é digno dos deuses”.

Shirley morreu em 2013, aos 86 anos.

Don Shirley pianista Don Shirley toca em um estúdio do Carnegie Hall, em Nova York, em 1960

Tony Lip Vallelonga (interpretado por Viggo Mortensen)

O roteiro premiado de "Green Book" também leva a assinatura de Nick Vallelonga, um dos filhos de Tony Lip, por isso algumas histórias sobre o segurança de casa noturna são tão apuradas.

Nascido de uma família italiana, foi criado no Bronx. O apelido 'Lip' foi criado ainda na infância, graças à habilidade de persuasão dele. Em bom português, ele seria conhecido como "Tony Bico Doce".

Era realmente um comilão inveterado e muitas das cenas em que devora pizzas e hot dogs existiram de verdade.

Na juventude serviu ao Exército Americano e, nos anos 1961, já casado como Dolores Venere, trabalhava na casa noturna em Copacabana. Foi por causa de sua fama no local que Don Shirley o escolheu como motorista e segurança. Além da viagem mostrada no filme, eles trabalharam juntos por uma turnê que durou cerca de um ano.

Tony Lip e Nick Vallelonga Tony Lip e o filho, Nick Vallelonga, em foto de 2008 / Getty Images

A atuação começou na década seguinte, em pontinhas no cinema. Sua 'estreia' como figurante foi em "O Poderoso Chefão", em 1972. Na década seguinte, começou a conseguir papéis com 'nome'. Nos anos 1990, fez "Os Bons Companheiros", clássico de Martin Scorsese, com quem já tinha trabalhado esporadicamente.

Seu papel de grande destaque foi como o mafioso Carmine Lupertazzi em "Família Soprano".

Morreu três meses antes de Don Shirley, em janeiro de 2013, aos 82 anos.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo