Oscar 2019: A amizade real que fundamentou a história de Green Book e outros fatos sobre o filme

Por Metro Jornal
green book o guia

Ambientado nos anos 1960, o indicado ao Oscar "Green Book: O Guia", conta uma história de amizade que nasce quando a segregação racial era algo garantido por lei nos Estados Unidos.

Leia mais:
Viggo Mortensen, de ‘O Senhor dos Anéis’, diz ter pensado duas vezes sobre papel de segurança em ‘Green Book’
CRÍTICA Green Book: O Guia

Viggo Mortensen vive Tony 'Lip' Vallelonga, um leão de chácara que é contratado para servir como segurança e motorista do pianista clássico Dr. Don Shirley (Mahershala Ali) durante uma turnê pelo Sul do país, onde o apartheid é real, mesmo para artistas da magnitude de Shirley.

O tal do Green Book do título é o manual que orienta os negros em viagens na área. Indica hotéis, restaurantes e outros locais onde eles tinham permissão para circular e foi publicado entre  1936 e 1966.

Veja abaixo alguns fatos sobre a produção:

    • A família Shirley questionou o roteiro , alegando que Tony e Don tinham apenas uma relação de trabalho, porém, isso foi refutado quando uma gravação de uma entrevista com o pianista surgiu. "Eu confiava nele de olhos fechados. Veja, ele não era apenas meu motorista, nós nunca tivemos uma relação empregado/patrão. Não há sentido nesse tipo de coisa. Minha  vida está na mãos deste homem. Então você precisa ser amigável um com o outro".
    • A amizade durou mais de 50 anos. Depois da viagem mostrada no filme, que durou dois meses, Doc e Tony trabalharam  juntos em uma turnê de um ano. Depois, o músico pediu que Tony o acompanhasse em sua turnê europeia, mas ele declinou porque não queria ficar longe da mulher e dos filhos.
    • Os dois morreram em 2013. Tony, aos 82 anos, em janeiro. Doc, em abril, aos 86.
    • Tony Lip investiu na carreira de ator. Foi figurante em "O Poderoso Chefão" (1972) e seu tipo também serviu a filmes como "Os Bons Companheiros" (1990), outras produções de Martin Scorsese e à série "Família Soprano", onde interpretou Carmine.
    • Viggo Mortensen conheceu a família Vallelonga antes de começar a se preparar para o papel. De ascendência italiana, os parentes de Nick ofereceram um jantar que durou seis horas. "Isso quase acabou comigo porque eu ainda não tinha engordado – não tinha aumentado o meu estômago ainda". Com medo de ofender ao recusar a comida, ele se esforçou a comer tudo. Mas sempre vinha mais comida. "Disse tchau, tiramos uma foto juntos e fui mancando até o carro que aluguei. Menti que ia voltar pra Manhattan, dei a volta na esquina, estacionei, abaixei o assento, afrouxei o cinto e me deitei lá por uma hora, gemendo", contou o ator.
    • Nick Vallelonga, filho de Tony, contou que as interpretações de Viggo e de Linda Cardellini, como sua mãe Dolores, foram tão impressionantes que ele ia às lágrimas.
    • Mahershala Ali teve como dublê o compositor do filme, Kris Bowers, nas cenas ao piano.
    • A família Vallelonga foi toda interpretada no filme por parentes de Tony. Louis Venere, um deles, continuava comendo mesmo depois de o diretor gritar CORTA.
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo