Em 'Todos Já Sabem', Farhadi volta a apostar em dramas familiares

Por Amanda Queirós - Metro São Paulo

É um erro assistir a “Todos Já Sabem”, que estreia nesta quinta-feira (21), querendo ver ali um suspense em torno de um sequestro. A verdade é que o mais novo filme de Asghar Farhadi, vencedor do Oscar de melhor filme estrangeiro por “A Separação” (2011) e “O Apartamento” (2016), está bem mais próximo dos dramas de casais típicos do diretor iraniano do que dos thrillers hollywoodianos.

Leia mais:
Rede de cinema promove maratona de filmes indicados ao Oscar a R$ 15
Por causa de 'Roma', Yalitza Aparicio trocou salas de aula pelas premiações

Sim, é o sumiço de uma adolescente que move a trama, mas a história não está exatamente interessada na resolução desse conflito. O que importa mesmo é como ele ressoa na família de Laura (Penélope Cruz).

Ela é mãe da garota que desaparece em um povoado do interior da Espanha. O episódio acontece durante a festa de casamento da irmã de Laura e acaba envolvendo todos os parentes.

Quem dá atenção especial ao ocorrido é Paco (Javier Bardem), antigo namorado de Laura, abandonado após ela se mudar para a Argentina, onde constituiu família com Alejandro (Ricardo Darín).

Enquanto se dividem sobre avisar ou não a polícia e como obter o valor do resgate, eles testemunham o rápido desgaste de relações que pareciam calcadas em confiança quando ressentimentos e segredo vêm à tona.

O povoado é um personagem importante nesse quesito. Ele é o responsável pelos boatos que, aparentemente, “todos já sabem” – menos os seus protagonistas. 

O aspecto solar da fotografia e o fato de o filme ser falado em espanhol contribuem para o tom novelesco que ele assume em seu terço final.

Longe de representarem algo ruim, esses elementos reforçam a possibilidade de se fazer melodrama de qualidade, consolidando um saudável passo de Farhadi em busca de um público mais amplo.

Assista ao trailer:

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo