Brasil Game Show terá área dedicada a jogos para celular; venda de ingressos começa em abril

Por Luccas Balacci - Metro São Paulo

Do viciante Snake – o jogo da cobrinha – nos primeiros aparelhos da Nokia, às experiências battle royale com 100 usuários nos modernos smartphones. Os jogos para celular sempre chamaram a atenção das pessoas pela facilidade – afinal, todo mundo tem um telefone.

Com o desenvolvimento da tecnologia e o crescimento do número de modelos de celulares, os jogos, que eram apenas um bônus oferecido pelas marcas, se tornaram uma fatia enorme da indústria dos videogames. Em 2018, os games mobile faturaram mais de US$ 60 bilhões (quase R$ 225 bilhões), representando 47% do total e batendo o lucro de títulos para consoles e computadores.

Para abraçar esse importante e cada vez maior segmento do mercado, a BGS (Brasil Game Show) apresenta neste ano uma área dedicada aos desenvolvedores de games mobile. Serão diversos estandes com empresas brasileiras e internacionais que produzem jogos para celulares.

Segundo o coordenador de parcerias do evento, Thiago Caldas, a inclusão desse setor na BGS era inevitável. “Estamos sempre acompanhando as tendências e movimentações do mercado para saber o que o público gamer quer ver. A gente sabe que dentro desse mundo são vários nichos e a ideia é que a BGS seja um grande encontro de todos os tipos de videogames”, explicou.

Leia mais:
Jogador do Fortnite que completar ‘Overtime Challenges’ ganhará passe gratuito
Série que originou Kenan & Kel e Zoey 101 ganhará reboot na Nickelodeon

Apesar do anúncio, a Brasil Game Show não revelou quais desenvolvedoras irão expor seu trabalho no espaço mobile. A tendência é uma grande presença de empresas brasileiras – segundo o 2º Censo da Indústria de Jogos Eletrônicos, o Brasil produziu mais de 1,7 mil jogos entre 2016 e 2017, sendo 43% para dispositivos móveis.

Brasil Game Show 2019

A expectativa para a feira deste ano, segundo os organizadores, é superar os números da edição passada – a BGS 2018 teve público recorde de 325 mil pessoas, além de 10 convidados internacionais. Ainda não há detalhes de empresas confirmadas no evento, nem de grandes nomes da indústria que devem aparecer por aqui.

Uma preocupação seria uma possível ausência da Sony, que já a gigante japonesa afirmou que não fará parte da E3 – principal feira de videogames do mundo – deste ano. Para Caldas, porém, os eventos são muito diferentes. “A E3 é muito mais voltada para o mercado e a imprensa. Na BGS nós temos o contato direto com os jogadores. É uma abordagem diferente até para as empresas que participam”, disse.

A Brasil Game Show é a maior do segmento na América Latina e neste ano acontece entre os dias 9 e 13 de outubro no Expo Center Norte. O primeiro lote de ingressos, com meia entrada de R$ 59, estará disponível no dia 5 de abril.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo