Mostra no CCBB destaca modernismo plural do artista Paul Klee

Por Metro Jornal

Para serem mais bem compreendidos pela sociedade, artistas costumam ser enquadrados em categorias. Mas enquanto Picasso era puro cubismo e Kandinsky exalava abstração, o suíço Paul Klee (1879-1940) conquistou sucesso sem limitar seu trabalho a um único estilo.

Leia mais:
‘A população amedrontada investe em arma’, diz Mateus Solano; ator dubla vilão em ‘Tito e os Pássaros’
Ed Sheeran reprisa no Brasil o show da turnê ‘÷ (Divide)’, maior sucesso comercial de 2018

Essa pluralidade se tornou  marco de sua obra, e é ela que guia a exposição “Paul Klee – Equilíbrio Instável”, que abre nesta quinta-feira (13) no CCBB (r. Álvares Penteado, 112, Centro, tel.: 3113-3651; de qua. a seg., das 9h às 21h; grátis; até 29/4).

Mais de 120 obras se espalham em três andares, entre desenhos, pinturas e até mesmo marionetes que o artista fazia para seu filho e também desenhos de infância.

“A obra dele apresenta uma variedade grande de vertentes. Há construtivismo, abstracionismo, figurativismo… Ele se interessa especialmente pela figura do equilibrista, que é quase como uma metáfora da busca dele como artista”, explica Fabienne Eggelhöfer, curadora-chefe Zentrum Paul Klee e responsável pela organização da exposição.

O suíço se esforçou para construir uma carreira nas artes visuais, e sua biografia é retratada na exposição a partir de suas obras.

Ele começou seus estudos em Munique, mas se frustrou com a academia e estudou anatomia na faculdade de medicina – tudo para descobrir um tipo de expressão que lhe fosse autêntica.

Sua amizade com Kandinsky e a descoberta de cores, luzes e linhas diferentes a partir de uma viagem à Tunísia o ajudaram a se torna reconhecido ainda em vida.   

A mostra dedica atenção especial à fase em que Klee foi professor da Bauhaus, a  escola de design, artes plásticas e arquitetura que se tornou símbolo de ousadia estética na Alemanha dos anos 1920.

“Ele queria que os estudantes aprendessem que a forma não está dada, mas que ela se torna”, diz Fabienne, que organizou mais de 3 mil anotações feitas por ele no período, disponibilizadas on-line.

Para marcar a abertura da exposição, a curadora fará nesta quarta, às 18h30, uma palestra gratuita sobre Klee.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo