No Festival de Berlim, longa brasileiro destaca ocupações estudantis

Por Metro Rio

Documentários sobre as manifestações de 2013 não são exatamente raros. Mas, em “Espero Tua (Re)Volta”, a intenção da diretora Eliza Capai é explorar os protestos não como pretextos por si só, mas como preâmbulos das lutas estudantis que tomariam várias capitais brasileiras nos anos seguintes.

Leia mais:
Brasil leva 12 filmes ao Festival de Berlim
Primeira comédia brasileira da Warner, série ‘Mal Me Quer’ ri das uniões ‘perfeitas’

“A onda de ocupações, em 2015, não teria rolado se esses ativistas não tivessem participado ou, pelo menos, assistido às manifestações de dois anos antes”, acredita Eliza.

O longa é uma das 12 produções brasileiras selecionadas ao Festival de Berlim, que segue até o dia 17. A estreia será no sábado, na mostra “Geração 14+”.

“Lançar esse filme em uma cidade como Berlim, que representou a divisão entre o comunismo e o capitalismo, tem um peso histórico muito grande”, afirma.

O documentário acompanha a trajetória de três estudantes que participaram das ocupações estudantis iniciadas em 2015, em reação a medidas tomadas pelo ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), que previa o fechamento de mais de 90 escolas. A proposta foi o estopim para a ocupação de mais de 200 unidades pelo estado.

“O custo emocional para esses jovens foi muito grande. Alguns tiveram síndrome do pânico ou se mudaram porque estavam sofrendo perseguições”, relata a diretora.

A partir da perspectiva dos estudantes, são propostos debates mais amplos, sobre temas como racismo e direitos do grupo LGBTQ+.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo