Mostra reúne cinema pop e autoral de Martin Scorsese em São Paulo

Por Amanda Queirós – Metro São Paulo

Poucos cineastas atuantes hoje reúnem o prestígio de público e de crítica conquistado por Martin Scorsese. Aos 76 anos, o diretor americano de ascendência italiana conseguiu unir esses dois polos com histórias ousadas e estéticas inovadoras que ajudavam a contá-las.

Esse legado poderá ser visto a partir desta quarta-feira (6) na mostra Scorsese, que ocupa o Centro Cultural Banco do Brasil até 4 de março e passa pelo Cinesesc entre 14 e 20 de fevereiro, com sessões gratuitas e pagas, entre R$ 10 e R$ 17.

É a maior retrospectiva do diretor no país, com 25 longas de ficção, além de quatro documentários, quatro curtas e um filme para a televisão.

“O diferencial é que dá para ter uma visão global que ajuda a entender a trajetória da carreira dele. É interessante ver como um simples cinéfilo se tornou um ícone”, explica José de Aguiar, que divide a curadoria do projeto com Marina Pessanha.

Com isso, é possível ver ao longo do mês as principais recorrências temáticas que ajudaram Scorsese a formatar sua assinatura, como sua profunda relação com a religiosidade (“A Última Tentação de Cristo”, “Silêncio”), sua visão em torno da violência (“Taxi Driver”, “Touro Indomável”) e o fascínio da máfia (“Os Bons Companheiros”, “Os Infiltrados”).

Esses são títulos bastante conhecidos, e o tchan está em poder vê-los em 35 mm, bem como trabalhos menos conhecidos e mais difíceis de encontrar em home video, como seu longa de estreia, “Quem Bate à Minha Porta?” (1967), que marca o início de sua parceria com o ator Harvey Keitel e a montadora Thelma Schoonmaker, e “Sexy e Marginal” (1972).

“Alguns títulos, como ‘Caminhos Perigosos’ (1973), serão exibidos por aqui pela primeira vez em película desde a estreia”, ressalta Aguiar, que destaca ainda o caráter cinéfilo e de preservação documental de Scorsese.

“Ele trabalha dentro de uma linguagem que respeita a história do cinema, com uma olhar forte para o cinema de gênero e o submundo. Seus personagens vivem dilemais morais e precisam superar os próprios limites éticos.”

Quem quiser se aprofundar na obra de Scorsese pode fazer um curso gratuito, de três dias, com o crítico Paulo Santos Lima. As inscrições podem ser feitas pelo e-mail [email protected] Com cinco ingressos de diferentes sessões também é possível obter o catálogo da mostra.

Destaques

  • 1. ‘Taxi Driver’ (1976) – Palma de Ouro
    Premiado em Cannes, o taxista Travis Bickle uniu Robert De Niro a Scorsese: “O Irlandês”, que estreia na Netflix, será o 9º filme dos dois.
  • 2. ‘Quem Bate à Minha Porta?’ (1967) – Estreia em longas
    Marco inicial da parceria do diretor com o ator Harvey Keitel e a montadora Thelma Schoonmaker.
  • 3. ‘Touro Indomável’ (1980) – Oscar para De Niro
    A história do boxeador Jake LaMotta ganha sessão gratuita com acessibilidade no dia 27.
  • 4. ‘Os Bons Companheiros’ (1990) – Inspiração mafiosa
    O retrato do compadrio entre criminosos tem origem na influência italiana de Scorsese.
  • 5. ‘O Lobo de Wall Street’ (2013) – DiCaprio parceiro
    O galã encontrou consagração crítica na parceria que vem desde “Gangues de NY” (2002).

Serviço

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo