Gaspar Noé polemiza com ‘Clímax’, filme com elenco só de bailarinos

Por Metro Porto Alegre

O diretor Gaspar Noé – que nasceu na Argentina e vive na França desde criança – chocou meio mundo com a cena de estupro em “Irreversível”, seu filme de 2002. Depois de mais algumas ousadias, ele volta à tela grande com “Clímax”, outra estreia desta quinta-feira (31) nos cinemas.

Leia mais:
Série ‘Unbreakable Kimmy Schmidt’ dá a última risada
‘Vice’: Com 8 indicações ao Oscar, filme com Christian Bale é ‘House of Cards’ da vida real

O filme acompanha um grupo de dançarinos que vive uma verdadeira “bad trip” ao longo dos 90 minutos de projeção. No começo do longa-metragem, eles se encontram no espaço de ensaios e, entre uma coreografia e outra, falam bobagens e bebem alguma coisa.

Aos poucos, percebem que a bebida foi misturada com algum alucinógeno, mas aí já é tarde demais: a dança fica mais intensa, os ânimos se exaltam e tudo é motivo para exageros, inclusive a tensão sexual.

O diretor disse que boa parte do roteiro foi inspirado em suas próprias vivências e que não escalou atores profissionais – somente bons bailarinos.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo