Netflix se torna rainha dos jovens com ‘Sex Education’

Por Bruno Bucis - Metro Brasília

Ele sabe tudo de física e não gosta de educação sexual. O personagem de Asa Butterfield em “Sex Education” é o contrário da juventude sobre a qual Renato Russo cantava na música “Química” (1986). A nova série da Netflix entrega ao público adolescente exatamente o que ele quer: uma trama inesperada e divertida.

A série de oito episódios conta a história de Otis Milburn (Asa Butterfield), um menino desengonçado que morre de vergonha do fato de sua mãe Jean Milburn (Gillian Anderson) ser uma terapeuta sexual. Quando os colegas de Otis em sua nova escola descobrem o ambiente em que ele vive, ele começa, involuntariamente, a ouvir todas as confissões sexuais de seus colegas.

O maior trunfo de “Sex Education” é o elenco. Ambos experimentados e premiados, Butterfield e Gillian conduziriam a trama nas costas se fosse necessário, mas não é. Todo o elenco de apoio é tão talentoso quanto eles, em especial Ncuti Gatwa, que interpreta o melhor amigo gay de Otis, e Emma Mackey, jovem atriz que dá vida à anti-heroina e interesse romântico de Otis, Maeve.

A força do roteiro de Laurie Nunn também é notável. Não só a premissa é boa, como o desenvolvimento de cada episódio ganha muita força ao destilar o “humor inglês”.

O roteiro também tem o mérito de abordar todas as inseguranças de jovens que estão iniciando a vida sexual de maneira chamativa, mas sem ser didática, tampouco apelativa.

Por fim, a valorização da amizade e a trilha sonora também cumprem um bom papel na força da trama.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo