Carnaval de Brasília terá 3 bolsões e ônibus entre eles

Por Bruno Bucis - Metro Brasília

Tranquilidade e segurança. É isso que o secretário de Cultura do DF, Adão Cândido, espera para o carnaval de Brasília em 2019, conforme ele disse nesta quarta-feira (23) durante a coletiva de imprensa para anúncio da programação da folia.

Leia mais:
A cerca de um mês para o Carnaval, folia de rua de São Paulo ainda não tem patrocínio
Jean Paul Gaultier desenha fantasias para o próximo carnaval do Rio

Serão apoiados pelo governo local 55 blocos que desfilarão a partir do dia 2 de fevereiro, sendo a maioria, claro, no início do março, durante a semana do carnaval. A maior parte deles não ocupará as ruas da cidade propriamente, mas sim os bolsões de concentração que serão montados.

Em Brasília serão três bolsões: Setor Bancário Norte, Setor Comercial Sul e Estádio Nacional. De acordo com o secretário, os locais contarão com extensiva oferta de serviços públicos, indo desde ambulâncias e policiamento até caminhões pipa da Caesb oferecendo água aos foliões.

“O retorno das escolas de samba será feito de forma gradual, já que não há previsão orçamentária. Estamos estudando fazer os desfiles em abril, quando haveria uma visibilidade exclusiva ao carnaval do DF” – Adão Cândido, Secretário de Cultura do Distrito Federal

A Secult prometeu criar ainda uma linha de ônibus circular que passará pelos bolsões. A linha funcionará como ônibus circulares comuns, ou seja, custará R$ 3,50 a cada viagem e o bilhete único (que dá direito a viagens gratuitas em um intervalo de 2h) funcionará normalmente. Uma ação do GDF, inclusive, facilitará a venda de bilhetes únicos dentro dos bolsões.

Nem todas as novidades, porém, são boas para o folião, principalmente para aqueles que gostam de estivar a festa. Dentro dos bolsões o som só será permitido até 23h e à 0h os espaços já deverão estar completamente livres. “Tivemos problemas no ano passado com blocos indo além do permitido em suas licenças, então estamos muito atentos aos horários”, disse Adão.

Para os blocos que estarão em setores residenciais, o horário de encerramento é ainda mais cedo, às 22h.

  • R$ 3,6 milhões serão investidos pela Secretaria de Cultura na programação, destes R$ 325 mil nas Escolas de Samba
  • 55 blocos foram habilitados a ocupar as ruas em uma programação que já começa em 2 de fevereiro, com o Virgens da Asa Norte
  • bolsões concentrarão os blocos no centro: SBN, SCS e Estádio Nacional. Taguatinga e Planaltina também terão bolsões de folia
  • 0h é o horário máximo de encerramento da folia.A partir das 23h o som deve ser desligado e a organização dispersará os foliões

Entre outros destaques anunciados na quarta, está a confirmação das escolas de samba, que ficaram três anos sem participar da festa pública, na programação no carnaval deste ano. Elas receberão um aporte de R$ 325 mil.

Inicialmente, elas não desfilarão, serão feitas apenas apresentações com as baterias das escolas e com as passistas das agremiações – um modelo semelhante ao adotado no ano passado, quando elas integraram o Brasília Samba Show. Cândido, porém, afirmou que o modelo ainda está passando por discussões.

Outra novidade é o lançamento do programa Carnaval Social, que levará às regiões mais pobres do DF uma caravana que atuará na formação de jovens em profissões técnicas da área cultural, como iluminação e montagem.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo