Morre o artista gráfico Cafi, autor de 300 capas de discos

Por Estadão Conteúdo

O fotógrafo pernambucano Cafi morreu na virada do ano, aos 68 anos, em consequência de um infarto, enquanto se comemorava a chegada de 2019, na praia do Arpoador, no Rio.

Leia mais:
‘Agradeço ao tempo que te trouxe’, declara Lulu Santos ao namorado
Longe de Bruna Marquezine, Neymar passa ano novo na Bahia cercado por mulheres

Cafi, cujo nome verdadeiro era Carlos da Silva Assunção Filho, nasceu no Recife e assinou várias capas de discos de conhecidos cantores brasileiros, entre eles Milton Nascimento, como "Minas" e "Clube da Esquina" (no último, destacam-se as imagens de dois meninos, um negro e um branco). Filho de uma tradicional família pernambucana, ele conheceu o músico mineiro e seus parceiros (Ronaldo Bastos) em 1968.

Com Ronaldo Bastos, Cafi fundou o grupo Nuvem Cigana nos anos 1970 e foi muito atuante como artista gráfico, tendo assinado mais de três centenas de capas para discos de músicos brasileiros e estrangeiros.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo