Estreias no cinema: versão light de Deadpool e mais lançamentos da última semana de 2018

Por Fred Lopes

Sim, assistir Deadpool no cinema pode ser um programa família e Wade Wilson está pronto para provar isso em "Era uma Vez um Deadpool". O longa tem a mesma narrativa do segundo filme da franquia, mas além de apagar todos os palavrões e cenas mais escrachadas, inclui uma homenagem ao clássico "A Princesa Prometida", de 1987.

Surpreendendo a todos, "Bumblebee" chegou aos cinemas na terça-feira (25) para provar que é possível fazer um filme interessante sobre uma franquia já desgastada. Com altas notas nos principais sites de críticas, o longa é um prequel para o primeiro filme da saga dos "Transformers" e é o primeiro deles a não contar com a direção de Michael Bay, que ficou responsável pela produção. Dessa vez, o comando ficou por conta de Travis Knight, o mesmo diretor de "Coraline" e "Os Boxtrolls" (veja mais).

Esta semana também tem "A Pé Ele Não Vai Longe", com Joaquin Phoenix (leia o texto completo), a comédia "Minha Vida em Marte", com Paulo Gustavo, o suspense "Culpa" e os dramas "Emma e as Cores da Vida" e "O Confeiteiro".

Assista aos trailers:

Era uma Vez um Deadpool

[EUA, 2018], de David Leitch. Com Ryan Reynolds, Fred Savage e Josh Brolin.

Determinado a provar que Deadpool 2 é um filme para toda a família, Wade Wilson limpa todos os palavrões e sangue da narrativa e sequestra o ator e diretor Fred Savage para reencenar A Princesa Prometida. Sem poder se desvencilhar das amarras, Savage é obrigado a ouvir o "conto de fadas" do Mercenário Tagarela, incluindo sua luta com Cable e a formação da X-Force.


Bumblebee

[EUA, 2018], de Travis Knight. Com Hailee Steinfeld, John Cena e Jorge Lendeborg Jr.

No ano de 1987, Bumblebee encontra refúgio em um ferro-velho de uma pequena cidade praiana da Califórnia. Charlie, prestes a fazer 18 anos e buscando seu lugar no mundo, encontra Bumblebee machucado e sem condições de uso. Quando o revive, Charlie logo percebe que este não é qualquer fusca amarelo.


A Pé Ele Não Vai Longe

[EUA, 2018], de Gus Van Sant. Com Joaquin Phoenix, Jonah Hill e Rooney Mara.

John Callahan é um homem conturbado que, bêbado, bate de carro e sofre um grave acidente. Tetraplégico, ele transforma sua vida, tornando-se um dos cartunistas mais improváveis, ácidos e perseverantes do mundo, usando as limitações físicas para desenvolver uma carreira artística com a ajuda de sua namorada e de um simpático padrinho.


Minha Vida em Marte

[Brasil, 2018], de Susana Garcia. Com Mônica Martelli, Paulo Gustavo e Marcos Palmeira.

Fernanda está casada com Tom, com quem tem uma filha de cinco anos. O casal está em meio a um desgaste, o que gera atritos constantes. Quem a ajuda a superar a crise é seu sócio Aníbal, parceiro inseparável durante a árdua jornada entre salvar o casamento ou pôr fim a ele.


Culpa

[Dinamarca, 2018], de Gustav Möller. Com Jakob Cedergren e Jessica Dinnage.

Asger trabalha despachando alarmes de emergência. Ele recebe a ligação de uma mulher sequestrada e, depois de uma desconexão no sistema, as buscas por ela e seu sequestrador começam. Armado de um telefone, Asger luta contra o tempo para solucionar o crime, maior do que imaginava.


Emma e as Cores da Vida

[Itália, 2018], de Silvio Soldini. Com Valeria Golino e Adriano Giannini.

Teo é um mulherengo publicitário que divide seu tempo entre a amante, a namorada e a elaboração de mentiras. Um dia seu caminho cruza com o de Emma, uma osteopata cega, e o que começa como mais um mero jogo de sedução se transforma numa relação inesperadamente íntima.


O Confeiteiro

[Alemanha e Israel, 2017], de Ofir Raul Graizer. Com Tim Kalkhof e Sarah Adler.

Thomas, um jovem e talentoso confeiteiro, tem um caso com Oren, um homem israelense casado que morre em um acidente de carro. Thomas viaja a Israel atrás de respostas e acaba se envolvendo com a mulher de seu amante, passando dos limites de sua imaginação.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo