Museu Nacional é remontado digitalmente pelo Google

Por Metro Rio

Os corredores e salas destruídos pelo fogo no Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista, surgem intactos. Assim como 164 peças que estavam expostas ao público até o incêndio, em 2 de setembro, e que foram digitalizadas. Lançado nessa quinta-feira (13) pelo projeto Google Arts & Culture, a plataforma ainda apresenta imagens em 360 graus captadas em 2017, por meio do Museum View. Disponível no site Google Arts & Culture e aplicativo (iOS e Android), o projeto tem acervos digitalizados de 1,8 mil instituições, sendo 60 do Brasil.

Leia mais:
IMS recebe exposição com mais de 300 obras da fotógrafa Claudia Andujar
Domingo na Paulista vai ter música clássica grátis no vão livre do Masp

“Temos um relacionamento com o museu desde 2016 e a gente estava coletando as imagens, tanto para disponibilizar essa visita virtual quanto para ter fotos em altíssima definição de objetos”, conta Newton Neto, diretor de parcerias Google América Latina. “É também para mostrar para pessoas como era esse Museu Nacional”, completa Cláudia Castro, arqueóloga coordenadora do grupo de resgate.

Já o Ministério da Educação repassou mais R$ 5 milhões para o plano executivo de recuperação do museu. A segunda etapa vai unir esforços de profissionais da Unesco, da Universidade Federal do Rio e do Ministério das Relações Exteriores. Ontem, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior anunciou também o repasse de R$ 2,5 milhões para a pesquisa da instituição.

1. Luzia. O fóssil mais antigo

O tour leva à sala da evolução humana, através do fóssil de Luzia. Fragmentos do crânio foram achados por pesquisadores nas ruínas do museu após o incêndio.

museu nacional do rio de janeiro Reprodução

2. Bendegó. Meteorito

Maior meteorito brasileiro, com 5.260 kg, o Bendegó foi achado em 1784, no sertão da Bahia. Ele ficava na entrada do museu e resistiu às chamas.

museu nacional do rio de janeiro Reprodução

3. Vênus. Estatueta da deusa

Na sala de coleções de relíquias, uma das atrações era a estátua Torso Nu. A representação da deusa Vênus _ do amor, da beleza e da fertilidade – foi encontrada em escavações realizadas em 1853, na Itália.

museu nacional do rio de janeiro Reprodução

4. Múmias. Egípcias

O Museu Nacional abrigava a maior coleção da história egípcia da América Latina. Através do tour virtual, é possível conhecer as múmias que antes ficavam expostas. Uma das que despertavam curiosidade era a múmia Kherima, com cerca de 2 mil anos. Reza a lenda de que ela provocava ‘transe’ em quem se aproximasse dela.

museu nacional do rio de janeiro Reprodução

5. Titanossauro. Réplica

Na sala dos dinossauros do museu, havia a réplica do esqueleto do Titanossauro. Os ossos originais foram descobertos no município do Prata, em Minas Gerais.

museu nacional do rio de janeiro Reprodução

6. Povos. Indígenas

Máscaras indígenas dos Awetí, Waurá e Mehináku são alguns dos itens antes expostos na sela dedicada a esses povos, que vivam no Alto Xingu.

museu nacional do rio de janeiro Reprodução
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo