Os Crimes de Grindelwald: Saga de bruxos ganha novos desdobramentos

Sequência de ‘Animais Fantásticos’ traz protagonista desenrolado e clima sombrio com vilão dúbio

Por Metro Jornal

Diferentemente da saga cinematográfica de “Harry Potter”, que tinha suas tramas já bem delineadas pelos sete livros de J.K. Rowling, a franquia “Animais Fantásticos” chegou ao público em 2016 com cheiro de novidade.

Personagens que haviam sido apenas citados ganharam contornos bem delineados. Tramas independentes e ambientação na Nova York dos anos 1920 ajudaram a criar uma singularidade, que, mesmo envolta no universo do bruxinho, consegue sobreviver por conta própria.

Se houve um esforço para afirmar as diferenças entre o primeiro longa da franquia e seus antecessores, elas se diluem agora com a estreia de “Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald”, dirigido por David Yates.

Londres e a escola de magia Hogwarts voltam a aparecer, bem como o professor Dumbledore, interpretado na maturidade por Jude Law. É ele quem convoca o zoólogo mágico Newt Scamander (Eddie Redmayne) para uma tarefa aparentemente acima das capacidades do jovem: conter o vilão Gerardo Grindelwald (Johnny Depp).

Leia mais:
O Grande Circo Místico: Filme mostra vida como espetáculo
MasterChef Profissionais: ‘Problemas pessoais interferiram’, conta André

Preso em uma reviravolta ao fim no filme anterior, ele escapa e foge para Paris, onde passa a reunir um séquito em torno de ideias supremacistas. Há ambiguidade moral em seu discurso, sintonizado com a ascensão de líderes populistas no mundo atual.

Grindelwald procura atrair para a causa o órfão Credence Barebone (Ezra Miller), um bruxo potencialmente poderoso e desesperado para encontrar suas origens.

Defendido com graciosidade por Redmayne, Scamander tenta impedir tal encontro, e, para isso, surge mais desenrolado, especialmente quando se depara com novas criaturas fantásticas, que o ajudam a enfrentar os inimigos ao lado de Tina (Katherine Waterston), seu irmão Teseu (Callum Turner) e a noiva dele, Leta Lestrange (Zoë Kravitz), responsável pelo mistério mais interessante da narrativa.

Apesar de ser escanteado por outros personagens, o zoólogo é ainda o coração do filme, que deixa final aberto para a continuação, prevista para 2020.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo