Estreias no cinema: Venom, o vilão/herói do Homem-Aranha, e outros lançamentos desta semana

Por Fred Lopes

O terror chegou na Marvel: "Venom", o vilão que se tornou herói mas ainda é vilão, ganhou seu próprio longa, após a participação em "Homem-Aranha 3" – embora, obviamente, não se trate da mesma linha narrativa. O filme chega com essa promessa de introduzir um tom mais sombrio no universo, só que mesmo assim as piadas não foram esquecidas (leia a matéria completa).

Também estreia nos cinemas o remake de "Papillon", que conta a história de um homem que é preso por um crime que não cometeu (veja o texto completo). Além destes, também tem o brasileiro "Mare Nostrum", o argentino "O Futuro Adiante", o alemão "Os Invisíveis" e os americanos "Juliet, Nua e Crua" e "Ponto Cego".

Assista aos trailers:

Venom

[EUA, 2018], de Ruben Fleischer. Com Tom Hardy, Michelle Williams e Riz Ahmed.

Eddie Brock é um jornalista investigativo, que após acessar um documento sigiloso enviado à sua namorada, descobre que Drake tem feito experimentos científicos em humanos. Ele resolve denunciar esta situação durante a entrevista, o que faz com que seja demitido. Seis meses depois, ele é procurado com uma denúncia: Drake estaria usando simbiontes alienígenas em testes com humanos, muitos deles mortos como cobaias.


Papillon

[EUA, 2018], de Michael Noer. Com Charlie Hunnam, Rami Malek e Eve Hewson.

Henri Carrière, conhecido como Papillon, é acusado injustamente de um assassinato e condenado à prisão perpétua na Ilha do Diabo, Guiana Francesa. Durante o exílio, ele conhece Louis Dega, um homem bastante excêntrico, com quem forma uma aliança para tentar escapar da prisão e provar sua inocência. ​No entanto, todos que tentaram fugir foram levados para a solitária ou condenados à morte, o que torna a missão ainda mais arriscada.


O Futuro Adiante

[Argentina, 2017], de Constanza Novick. Com Pilar Gamboa e José Maria Yazpik.

Romina e Florencia possuem uma história de amizade que resiste ao tempo. Desde o primeiro amor até o primeiro divórcio, com desentendimentos e desafetos, as amigas atravessam diferentes etapas da vida juntas.


Mare Nostrum

[Brasil, 2018], de Ricardo Elias. Com Silvio Guindane, Ricardo Oshiro e Carlos Meceni.

As vidas de Roberto e Mitsuo se cruzam por conta de um terreno negociado por seus pais no passado. Os dois veem nele uma possibilidade de se acertarem financeiramente, mas alguns eventos fazem com que eles creiam que o terreno é mágico.


Juliet, Nua e Crua

[EUA, 2018], de Jesse Peretz. Com Ethan Hawke, Rose Byrne e Chris O´Dowd.

Annie tem um relacionamento de longa data com Duncan, que é fã obsessivo de um roqueiro e chega a ser mais dedicado ao seu ídolo do que a ela, que acaba tendo um encontro com o tal astro quando um hit dele ressurgue no meio musical.


Os Invisíveis

[Alemanha, 2017], de Claus Räfle. Com Max Mauff, Alice Dwyer e Ruby O. Fee.

Em Berlim, nos anos 1940, com o regime nazista perseguindo o povo judeu, muitos deles tiveram que se tornar praticamente invisíveis. O filme acompanha quatro deles, que sonham em viver na América.


Ponto Cego

[EUA, 2018], de Carlos Lopez Estrada. Com Daveed Diggs, Rafael Casal e Janina Gavankar.

Collin precisa passar pelos últimos três dias de liberdade condicional para ganhar a chance de ter um novo começo. Ele e seu amigo de infância problemático, Miles, trabalham como mensageiros e, quando Collin testemunha um tiroteio policial, a amizade dos dois homens é testada à medida que lidam com suas identidades e diferentes realidades no bairro em que cresceram.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo