Exposições põem visitante dentro das obras de arte

Por Metro Jornal

Duas exposições que abrem hoje em São Paulo tem em comum a aposta na arte imersiva, na qual o visitante se coloca dentro da obra.

No Farol Santander (r. João Brícola, 24, Centro, tel.: 3553-5627; de ter. a sáb., das 9h às 20h; dom., das 9h às 19h; R$ 20), dois novos trabalhos ocupam andares distintos do edifício a partir de hoje.

Assinada por Gisela Motta e Leandro Lima, “Entreter” apresenta sete estruturas que remetem a brinquedos de um parque de diversões. Além de estarem em escala reduzida, eles são confeccionados de forma minimalista e estão estáticos. A sensação de movimento surge da animação de luzes e do percurso que o visitante faz entre as obras.

Em outro andar, os italianos do None Collective montaram a obra “No Strata”, instalação na qual o público fica imerso em uma floresta “tecnológica”, composta por 44 módulos que produzem sons metálicos.

Já a Japan House (av. Paulista, 52, Bela Vista, tel.: 3090-8900; de ter. a sáb., das 10h às 22h; dom., das 10h às 18h; grátis) oferece a oportunidade de o público conhecer um pouco da produção de artes visuais da cena jovem de Tóquio.

O duo Nonotak Studio apresenta a exposição “Dimensão”, com instalações imersivas e obras cinéticas composta de luz, tudo em um ambiente com trilha sonora original. O objetivo é contrapor as noções correntes de tecnologia e arquitetura com um toque poético.

Japan House exposição Japan House abriga instalação imersiva / Divulgação
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo