Viola Davis diz que se arrepende do papel em Histórias Cruzadas

Por Metro Jornal

"Histórias Cruzadas" rendeu uma indicação ao Oscar de atriz coadjuvante para Viola Davis, uma estatueta para Octavia Spencer e discussões sobre racismo e o papel social da mulher, mas Viola não gosta tanto assim do resultado do filme, lançado em 2012.

Leia mais:
Viola Davis se manifesta sobre o assassinato de Marielle Franco
Oscar 2018: Viola Davis se atrapalha com figurino e quase cai no palco

Em entrevista ao jornal New York Times, a atriz, que acabou sendo agraciada na premiação por conta de "Um Limite Entre Nós", em 2017, contou que o filme figura no rol dos personagens que deram errado.

"Se eu fiz papéis que depois me arrependi? Sim, e 'Histórias Cruzadas' está nessa lista”, afirmou ela, protagonista da série "How to Get Away with Murder".

O filme, protagonizado por ela, Octavia e Emma Stone, conta a história de empregadas domésticas negras nos anos 1960. Mulheres que deixaram os filhos para cuidar das crianças dos patrões.

“Eu senti no final das contas que as vozes das empregadas não foram ouvidas. Eu conheço a Aibileen (seu personagem no filme). Eu conheço a Minny (vivida por Octavia). Elas são minhas avós. Elas são a minha mãe. E eu sei que se você faz um filme em que toda a premissa é saber como é que alguém se sente trabalhando para pessoas brancas e educando crianças em 1963, eu gostaria de saber o que elas realmente sentiam com isso. Eu não fiquei sabendo disso durante todo o filme”, disse Viola.

Apesar de tudo, ela achou importante frisar que esse arrependimento não tem nada a ver com os colegas do filme. "As amizades que eu fiz são coisas que terei para o resto da vida. Eu tinha uma experiência maravilhosa com as outras atrizes, seres humanos extraordinários. E eu não poderia querer um colaborador melhor do que (o diretor) Tate Taylor", continuou.

Vidas Cruzadas Divulgação
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo