Sexualidade guia trama de André Aciman em seu mais novo livro Variações Enigma

Por Metro Rio
livro

Conhecido pelo sucesso do filme “Me Chame Pelo Seu Nome”, baseado em seu romance homônimo e vencedor do Oscar de melhor roteiro adaptado, o escritor de origem egípcia André Aciman não distingue as formas de amor.

Tanto nesse livro quanto no recém-lançado “Variações Enigma”, os protagonistas se relacionam com homens e mulheres, e o assunto é abordado com naturalidade.

“Escolhi não fazer muito estardalhaço. Estamos em mudança constante. Podemos nos sentir atraídos por alguém de manhã e, à noite, já não sentir mais essa atração. Homem, mulher, não importa! Amo essa fluidez”, declara o escritor, que esteve no Brasil para participar da 16ª Flip.

Cheio de referências e citações, as narrativas poderiam se tornar acadêmicas demais, porém a simplicidade das palavras de Aciman as transformam em universais. “Sempre escrevo em primeira pessoa, então, o ponto de vista do protagonista é sempre um eu, um André! Adoro quando acabo aparecendo nos personagens. No fim, sempre escrevo sobre mim”, afirma ele sobre o processo de escrita.

A descoberta da sexualidade também é um tema recorrente. Em “Variações Enigma”, Paul se vê interessado por seu parceiro de tênis enquanto crê estar sendo traído pela namorada.
“Somos seres sexuais muito antes de entendermos o que é desejo sexual. Talvez todo desejo sentido pela primeira vez nos faz sentir culpados e constrangidos. Querer tocar alguém é sempre algo carregado de culpa, seja do mesmo sexo ou do sexo oposto”, diz.

Aciman revela que o sucesso de “Me Chame Pelo Seu Nome” o surpreendeu. “Não esperava ser tão traduzido nem que fizessem um filme. Demorei a entender que a história era cinematográfica”, conclui.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo