Bailarinos Thiago Soares e Aurora Dickie se juntam ao piano de Marcelo Bratke para celebrar modernismo

Por Amanda Queirós/Metro São Paulo

Primeiro-bailarino do Royal Ballet, de Londres, o carioca Thiago Soares costuma vir com frequência ao Brasil para apresentar projetos solo. Com “Sumaúma”, ele mostra seus primeiros experimentos como coreógrafo em uma criação inspirada no modernismo brasileiro.

Thiago sobe ao palco ao lado do pianista Marcelo Bratke, que executa peças de Villa-Lobos e Ernesto Nazareth, e também da pernambucana Aurora Dickie, solista do Balé da Ópera de Berlim. Em cena, ela evoca ares de Tarsila do Amaral.

“A presença de artistas masculinos é muito forte no modernismo brasileiro. Thiago achou que faltava um elemento feminino, e a Tarsila se destacou nesse meio e teve seu reconhecimento”, diz ela.

Isso não quer dizer que Aurora interprete a pintora. “Não é uma representação literal dela. O Thiago vive um menino que descobre a música, a natureza, a si próprio e, de repente, vê a figura dessa mulher e se questiona o que isso representa”, completa.

Aurora destaca ainda a elegância e o humor da obra. “Thiago tem um domínio bonito da linguagem clássica e a usa de forma muito harmônica, com a música, numa coreografia muito delicada.”

Serviço:
No Teatro Sérgio Cardoso (r. Rui Barbosa, 153, tel.: 3288-0136). Nesta sexta-feira (27), às 20h30; sábado (28), às 21h; e domingo (29), às 18h; de R$ 50 a R$ 100).

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo