Demi Lovato já havia alertado sobre overdose: 'Uma única recaída é o necessário para morrer'

Por Victória Bravo

Demi Lovato nunca escondeu seus problemas com álcool e drogas. Em 2011 a atriz fez seu primeiro tratamento de reabilitação para os vícios e, quando o ator Cory Monteith faleceu por uma overdose de heroína em julho de 2013, ela foi uma das primeiras celebridades a comentar o caso.

De acordo com o Infobae, ela declarou na época:

“(Cory) não escolheu morrer, foi uma doença (o vício), pode te surpreender a qualquer momento, uma única recaída é tudo o que é preciso para morrer, isso é muito assustador, mas espero que as pessoas, percebam que esta doença é muito, muito, muito perigosa”, se posicionou.

Very tall! . . . Credit: . . . #gleek #gleeedits #coreymonteith #likeforlikes #l4l

A post shared by Netflixshows (@netflixshows_101) on

Em outra declaração, Demi já havia mencionado a dificuldade de voltar a ter uma vida normal quando existe a dependência química:

“Eles (seus amigos) podem completar 21 anos e ter uma grande festa, eu acho que não posso me colocar nessas situações. Eu sei que não posso participar sem sentir os impulsos, e é bom que seja assim.”

LEIA TAMBÉM:
Ator Wilmer Valderrama, ex-namorado de Demi Lovato, afirma estar "devastado"

Na última terça-feira (24), a cantora foi levada para um hospital de Los Angeles após suspeita de overdose de heroína, de acordo com um relatório da polícia local para o site do TMZ.

Frecklesss

A post shared by Demi Lovato (@ddlovato) on

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo