Thaila Ayala publica homenagem para amiga que morreu de câncer

Por Estadão Conteúdo

A atriz Thaila Ayala publicou um emocionado texto de despedida após a morte de sua amiga Mel, uma garota de 10 anos que lutava contra um câncer.

A atriz fez questão de ressaltar o aprendizado que teve em sua relação com a menina. "O dia em que conheci a Mel eu ainda me achava forte, muito forte. Até que aquelas portas da ala infantil de tratamento de câncer se abriram na minha frente e dei de cara com aquele ser de luz. Ela era só luz".

"Eu sempre pedia a Deus força quando ia visitá-la para que pudesse passar força pra ela, mas na verdade, quem passava força era ela pra mim, ela que estava me ensinando o tempo todo, e eu achando que pudesse estar passando algo pra ela".

De acordo com Thaila, a jovem chegou a se curar da doença, mas sofreu com outro câncer tempos depois: "Ela tinha cinco anos e já lutava bravamente pela sua vida. Essa luta durou alguns anos. Vi ela ser curada e também vi um outro câncer aparecer e lá estava ela pronta para começar mais uma luta. Foram cinco anos de luta, metade da sua vida".

"Mel viveu entre quimioterapias, radioterapias, drogas pesadíssimas para pulmão, coração e pra tanta coisa que não faço nem ideia. Transplantes (sim, foram mais de um), mas sempre com um batom pra alegrar a sua carinha que bem poucas vezes parecia abalada".

"Mel partiu ontem e a dor não cabe no meu peito. Eu não queria que ela partisse, queria ela aqui me cobrando todas as coisas que havia prometido a ela. Mas sabe lá porque Deus quis diferente", lamentou.

O dia em que conheci a Mel eu ainda me achava forte, me achava muito forte. Até que aquelas portas da ala infantil de tratamento de câncer se abriram na minha frente e eu dei de cara com aquele ser de luz, ela era só luz, o seu sorriso era de um tamanho e não cabia na sua boca dava p ver que se expandia para sua alma, depois descobri que sua alma era quem sorria. Ela carregava muitos fios em seu corpinho e se divertia em ter diversos cabelos uma hora azul outra rosa, o importante era que ela estava viva. Ela tinha 5 anos e já lutava bravamente pela sua vida e essa luta durou alguns anos. Eu vi ela ser curada e também vi um outro câncer aparecer e lá estava ela pronta pra começar mais uma luta. Foram 5 anos de luta, metade da sua vida Mel viveu entre Quimioterapias, radioterapias, drogas pesadíssimas p pulmão, p coração e pra tanta coisa q eu não faço nem ideia, transplanteS (sim foram mais de 1) mas sempre, sempre com um batom pra alegrar a sua carinha que as vezes mas bem poucas vezes parecia abalada, mas bastava eu chegar pra ela deixar todo mal humor, enjoo, dor de lado e logo se colocar pronta pra qualquer coisa. Ela era muito boa em muita coisa, principalmente em arrancar o melhor de mim. Eu sempre pedia a Deus força quando ia visitá-la pra que eu pudesse passar força pra ela mas na verdade quem passava força era ela pra mim, era ela que estava me ensinando o tempo todo, e eu achando que eu pudesse estar passando algo pra ela. Inocência ou pretensão minha. Mel não podia ter outro nome, ela era o ser mais doce que eu já conheci. Mel partiu ontem e a dor não cabe no meu peito, eu não queria que ela partisse, eu queria ela aqui me cobrando todas as coisas que havia prometido a ela. Mas sabe lá porque Deus quis diferente, tem coisas que realmente não está ao nosso alcance, coisas que jamais vamos entender nesse plano, espero profundamente entender do lado de lá. A princípio era difícil entender como ela tão pequenina podia ser tão Gigante ela era uma Fortaleza, mas foi facilmente explicável quando conheci sua mãe! Hoje eu sei o que é ser forte, forte é ser Mel porque ela é filha do ser mais forte que já conheci Jozi… Ps: continua nos comentários

A post shared by Thaila Ayala (@thailaayala) on

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo