MasterChef Brasil: Fico triste de deixar o Hugo sozinho, diz Katleen

Por Vinícius de Melo /Portal da Band

"Quando eu abri a cloche, demorou um pouco para cair a minha ficha de que era um jacaré. Como a Ana Paula Padrão falou que era algo aterrorizante, eu fiquei na cabeça de que iam dar uma jiboia para a gente cozinhar. Estava morrendo de medo de ter de cozinhar uma cobra", afirmou a cozinheira eliminada.


"Fiquei um pouco mais tranquila quando vi que era jacaré porque, pelo menos, não era uma cobra. Mas eu nunca tinha trabalhado com jacaré. Nunca nem comi. Não tenho referências de carnes de jacaré. Quando eu vi que parecia frango, eu fui buscando minhas referências de frango", continuou.

"Parando para pensar agora, a minha ideia foi um pouco infantil. A gente fica estudado, estudando, vê pratos feitos por chefs renomados e acaba se sentindo pressionado a entregar algo no mesmo nível. A gente esquece que a gente é amador e acaba se perdendo nisso. Pelo menos eu me perdi muito nisso", justificou.

"Busquei referências de coisas que eu ainda não estou preparada para fazer. E o resultado são tentativas muito ruins de atingir algo sofisticado e que acaba soando infantil. Igual a uma criança quando enfia o pé no sapato de salto da mãe. Você acha graça, você acha bonitinho e até ri. Mas ainda não está na hora certa", afirmou.

Emocionada, Katleen contou que já imaginava que seria eliminada após ouvir a avaliação dos chefs. "Eu fiquei triste por não conseguir mostrar o que eu sei fazer. A minha vontade era mostrar para a Paola que eu ouvi ela, de fazer diferente. Isso que mais dois na saída. De não poder mostrar o quanto eu posso fazer melhor para os jurados, que são pessoas que eu admiro demais, que eu sou muito fã e amo de paixão", disse.

"E também deixar o Hugo [Merchan] para trás. Fico triste de deixar ele sozinho na competição. Não é que ele esteja isolado, mas é que agora não tem alguém que ele se identifique. Se fosse o inverso, eu não gostaria de ficar aqui sozinha sem ele", explicou pouco antes de declarar quem ela gostaria de ver campeão do MasterChef Brasil 2018.

"Acho que é meio óbvio que eu estou torcendo para o Hugo. A gente tem sonhos muito parecidos, sabe? A diferença é que eu sou professora e ele é dentista. Mas a gente quer largar as nossas profissões, mas não por falta de amor. É que a cozinha é uma coisa que a gente nem sabia que precisava. Depois que a gente conheceu, é só: 'Como eu fiquei tanto tempo sem isso? Agora tudo faz sentido"", completou.

Muito elogiada e lembrada por seu pão de queijo frito, prato que garantiu o avental do talent show culinário, Katleen quer voltar às suas raízes. "O primeiro prato que eu fiz aqui, eu ainda não conhecia a pressão, não conhecia o jogo. Não conhecia muita coisa da gastronomia, depois que eu fui estudar. Então, ali era a minha cozinha genuína. Saber que é isso que eu tenho que buscar, que eu mostrei lá no começo, acaba me deixando confortável", disse.

"Não é nada que eu nunca tenha feito. O que eu tenho que fazer agora é me reconectar com aquilo do começo. Eu acho que, sem estar no jogo, sem essa pressão, sem essa coisa de um contra o outro, vai ficar mais fácil para mim. Vou me reencontrar na gastronomia. Quero estudar, quero me dedicar, quero cozinhar todos os dias pelo resto ad minha vida", finalizou.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo