Samara Felippo fala sobre como ter filhas negras a transformou: 'cresci racista e machista'

Por Metro Jornal

Em participação no Programa do Porchat, da Record TV, na segunda-feira, 25, a atriz Samara Felippo, contou que começou a se interessar pelos assuntos de representatividade e empoderamento negro como forma de entender as aflições das suas duas filhas, fruto do relacionamento com o jogador de basquete Leandro Barbosa.

"Minha filha mais velha chegou em casa pedindo pra alisar o cabelo, sendo que ela só tem sete anos. Ela me disse que as amigas dela não têm cabelo enrolado, e percebi ali que era o momento de falar sobre isso. As crianças negras crescem sem se ver nos lugares, brinquedos, filmes, princesas. Eu cresci racista, e cresci machista também, achando que existe cor de menino e menina, brinquedo de menina e menino. Estou lutando contra isso e não vou parar", disse a atriz.

Samara também falou que por ser branca não tem lugar de fala sobre o assunto, mas que espera estar orientando suas filhas para que elas lutem contra o racismo no futuro. "Eu sei que não tenho lugar de fala nisso. Sou uma mulher branca que cresceu sendo chamada de princesa, eu me sentia representada em todos os lugares. Mas como mãe espero estar criando mulheres empoderadas e que vão lutar contra isso no futuro", completou.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo