José Trajano lança romance e recebe público para bate-papo sobre futebol neste sábado em São Paulo

Por Metro Rio

Olhar para o passado não é se deparar com a verdade. Entre as experiências, a memória guarda sentimentos que se confundem com o que foi vivenciado. No livro “Os Beneditinos”, o escritor José Trajano vasculha um Rio perdido a partir do reencontro com antigos amigos.

O romance conta a história de um personagem que se sente deprimido com o avanço da idade. Para animar a vida, o protagonista decide retomar o contato com antigos colegas de escola e convidá-los para participar do torneio internacional de uma nova modalidade de futebol, mais acessível para idosos.

A obra mescla realidade e ficção. “É uma confusão que criei de propósito. No primeiro capítulo, coloquei o personagem para baixo. Depois, ele consegue um motivo para se recuperar. Alguns amigos me ligaram para perguntar se estava tudo bem, se eu precisava de dinheiro”, brinca o autor.

O livro aborda de maneira carinhosa arte e futebol, temas com os quais o autor trabalhou durante anos.

Embora adote uma postura nostálgica diante das décadas de 1950 e 1960 no então Distrito Federal, Trajano rechaça qualquer saudosismo: “Se eu fosse um cara somente preso ao passado, não estaria fazendo o que faço, em trabalhos mais voltados para o futuro”.

“Os Beneditinos” encerra uma tríade de obras que, segundo o escritor, pode ser compreendida como uma série. “Tudo acabou sendo invertido. O último a ser lançado é o primeiro da trilogia, seguido por ‘Tijucamérica’ (2015) e ‘Procurando Mônica’ (2014)”, explica.

Agora, o autor se lança em um novo romance que, assim como em “Procurando Mônica”, tem como atmosfera Rio das Flores, município fluminense quase na divisa com Minas Gerais. Diferentemente de suas outras empreitadas, não haverá um narrador em primeira pessoa.

“É um trabalho danado, gostoso, para a pesquisa histórica. Vai começar em 1938 e terminar antes do golpe militar. O personagem será como um Forrest Gump”, antecipa José Trajano, em referência ao filme com Tom Hanks, de 1994.

Desde que deixou o canal pago ESPN, o jornalista se dedica a conteúdos na internet para o site ultrajano.com.br. Os programas são mantidos via financiamento coletivo, pelo link catarse.me/ultrajano. Trajano também comanda o “Bonde do Zé”, no Canal Brasil, que vai ao ar aos domingos, às 21h30.

O conhecimento futebolístico do autor será explorado neste sábado dentro do projeto "Segundas Intenções", que acontece na Biblioteca de São Paulo (av. Cruzeiro do Sul, 2.630, Parque da Juventude). Das 11h às 13h, ele puxa um papo sobre sua obra autoral e sua relação com o esporte. A entrada é gratuita.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo