Oito Mulheres e um Segredo repete fórmula de filme de roubo com elenco estelar

Por Diego Rammsy/Metro Internacional

À primeira vista, o projeto de “Oito Mulheres e um Segredo”, que estreia nesta quinta-feira (7), parecia ser apenas uma versão feminina da franquia de roubos revitalizada por Steven Soderbergh, nos anos 2000, com George Clooney. “Quando soube da ideia, pensei honestamente que não funcionaria. Achei que seria divertido, mas não factível”, admite Sandra Bullock.

Na pele da irmã do golpista Danny Ocean (Clooney), é ela quem puxa o time de garotas fortes e diversificadas que transforma um filme de ação padrão em uma comédia de crime com muitas nuances expressivas.

“Esse filme é sobre oito mulheres maravilhosamente complexas, inteligentes e engraçadas que vão levar você em suas jornadas pessoais”, explica a atriz.

Leia mais:
Nasce Uma Estrela: Bradley Cooper e Lady Gaga cantam juntos no 1º trailer; assista
Joias da Princesa Diana devem ser divididas entre Meghan e Kate, diz especialista

Após 5 anos, 8 meses e 12 dias dentro da prisão, Debbie (Bullock) reúne uma equipe só de garotas para emplacar o que considera ser seu último trabalho: o roubo de um colar de diamantes de US$ 150 mi durante o baile de gala do Met, em Nova York.

“Conhecendo a franquia, assim que descobri quem seriam as outras atrizes do elenco imaginei que seria algo divertido e maravilhoso de se fazer. O risco valia a pena”, diz a australiana Cate Blanchett, que interpreta Lou, braço direito de Debbie.

O resto da equipe é composta pela estilista Rose (Helena Bonham Carter), a celebridade Daphne (Anne Hathaway), a especialista em joalheria Amita (Mindy Kaling), a dona de casa Rammy (Sarah Paulson), a hacker Nine (Rihanna) e a batedora de carteiras Constance (Awkwafina).

Para reunir esse time, a história dirigida por Gary Ross precisou escapar de padrões convencionais e estar disposta a mergulhar em personagens bem definidas.

Muito do resultado se vale da química do elenco. “Trabalhamos muitas horas seguidas, mas, quando baixávamos a guarda, percebíamos que estávamos entre amigas e podíamos nos relacionar umas com as outras, porque, em geral, não temos a oportunidade de trabalhar com um grupo de mulheres desse porte”, diz Bullock.

Com isso, o filme reflete o debate atual sobre igualdade de gênero. “Essas são mulheres que tomam conta umas das outras e trabalham em equipe, dando espaço para que cada uma atue na tarefa em que é mais talentosa e sem brigar por algo sem sentido. A luta delas é por um bem comum, e acho que isso ajuda na discussão sobre igualdade”, conclui a protagonista.

Confira o trailer do filme:

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo