Pivô de escândalo no Nobel é acusado de 'apalpar' princesa

Por Ansa

O pivô do escândalo que ameaça suspender o prêmio Nobel de Literatura em 2018, Jean-Claude Arnault, está sendo acusado de molestar sexualmente a princesa Victoria, herdeira do trono da Suécia.

Segundo o jornal "Svenska Dagbladet", o fotógrafo francês teria "apalpado" a futura soberana durante um evento da Academia Sueca, responsável pelo Nobel de Literatura, em 2006. Ainda de acordo com o mesmo diário, Victoria foi "socorrida" por uma assistente, que afastou Arnault à força.

A família real da Suécia não comentou a denúncia, mas publicou um comunicado de apoio aos movimentos contra abusos sexuais.

Marido da escritora Katarina Frostenson, ex-integrante da Academia Sueca, o fotógrafo é acusado de assédio e estupro por 18 mulheres.

Os crimes teriam ocorrido entre 1996 e 2017, no âmbito de um clube de literatura do francês que recebia apoio financeiro da entidade do Nobel. Diversos membros da Academia Sueca renunciaram a seus cargos depois de a organização ter votado contra a expulsão de Frostenson, que acabou forçada a abandonar seu posto.

As saídas têm valor simbólico, já que as nomeações na Academia Sueca são vitalícias, mas os membros podem se recusar a participar de suas atividades, como a escolha do Nobel de Literatura. O atual secretário permanente da instituição, Anders Olsson, já disse que há o risco de o prêmio não ser entregue em 2018.

A decisão sobre a honraria deve ser anunciada em 3 de maio.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo